hide message

Hello! Welcome to the Resource Centre.

We hope you find our free tools and resources useful. Did you know we also work directly with community advocates, providing them with the skills and resources to document corporate human rights abuses and effectively communicate with business?

This is only possible through generous donations from people like you.

Please consider supporting our work.

Thank you,
Phil Bloomer, Executive Director

Donate now hide message

Brasil: Juiz determina despejo de 450 famílias do Quilombo Campo Grande e favorece empresas cafeicultoras, afirma Mov. dos Sem Terra

MST_Câmara

No dia 7 de novembro de 2018, o juiz Walter Zwicker Esbaille Júnior, da Comarca de Campos Gerais (MG), determinou, através que uma Ação Reintegratória de Posse, que 450 famílias do Quilombo Campo Grande fossem despejadas. A Ação foi requerida pela massa falida da Companhia Agropecuária Irmãos Azevedo (Capia), antiga administradora da Usina Ariadnópolis Açúcar e Álcool S/A. As famílias, no entanto, ocupavam a terra desde 1998, quando a empresa decretou falência e não cumpriu com suas obrigações trabalhistas. Ao todo, estima-se que os quilombolas tenham investido em torno de R$ 20 milhões de reais durante os 20 anos de ocupação. O despejo é considerado favorável aos negócios de João Faria da Silva, dono de um império do café no Brasil e fornecedor para multinacionais de renome como a Nestlé e a Jacobs Douwe Egberts (dona das marcas Pilão, Café do Ponto, Cacique, Café Pelé e Damasco). A indignação diante da determinação do juiz originou a campanha de boicote “No Meu Bule Não”, que já ultrapassa 5.500 curtidas na página do Facebook.

 

Get RSS feed of these results

All components of this story

Item
+ Português - Hide

Author: Bruno Stankevicius Bassi, De Olho nos Ruralistas, (Brazil)

 “Ação de despejo contra assentamento do MST em Campo do Meio (MG) pode interromper duas décadas de produção agroecológica; terras são disputadas por João Faria da Silva, considerado o maior produtor individual de café no mundo”, 13 de novembro de 2018

Na última semana, uma liminar de despejo assinada pelo juiz Walter Zwicker Esbaille Junior, da Vara Agrária de Minas Gerais, colocou em alerta o assentamento Quilombo Campo Grande, no município de Campo do Meio (MG)...[A]...Ação Reintegratória de Posse...foi requerida em 2011 pela massa falida da Companhia Agropecuária Irmãos Azevedo (Capia), antiga administradora da Usina Ariadnópolis Açúcar e Álcool S/A...[O]...processo ganhou força após a homologação, em 2016, do plano de recuperação judicial da Capia...[A]...minuta entregue pela massa falida da Capia incluía o arrendamento de parte dos 3.195 hectares...para a Jodil Agropecuária e Participações Ltda, cujo proprietário é ninguém menos que João Faria da Silva, um dos principais nomes da cafeicultura no Brasil...[O]...império cafeeiro de João Faria...possui vinte empresas...[E]ntre seus clientes estão gigantes multinacionais como Nestlé e a holandesa Jacobs Douwe Egberts, dona das marcas Pilão, Café do Ponto, Cacique, Café Pelé e Damasco. Faria também é dono da Campneus, maior revendedora brasileira da Pirelli...[A]...ordem de despejo...pode pôr fim a uma das experiências mais reconhecidas de transição agroecológica no Brasil. O processo iniciado há oito anos, abolindo o uso de insumos químicos, agrotóxicos e sementes transgênicas, resultou no café orgânico Guaií...[O]s camponeses...enfrentam outro tipo de ameaças...[:]...[a]...ação de pistoleiros...[S]egundo relatos, os jagunços estariam agindo à mando do diretor da Capia, Jovane de Souza Moreira...[D]e Olho nos Ruralistas procurou a assessoria da Jodil Agropecuária que, até o momento do fechamento da reportagem, não encaminhou resposta sobre o despejo. O diretor da Companhia Agropecuária Irmãos Azevedo, Jovane de Souza Moreira, não foi localizado para dar entrevista...

Read the full post here

Article
+ Português - Hide

Author: Redação Rede Brasil Atual (Brazil)

Famílias que produzem 510 toneladas de café e vários outros alimentos tiveram despejo decretado pela Justiça de Minas Gerais. ‘Se me tirar daqui, acho que não vou aguentar’, diz camponesa”, 16 de novembro de 2018

...[A]...usina de cana...[faliu]...em 1994, e...[deixou]...funcionários coma as mãos abanando. Quatro anos depois, as famílias dos trabalhadores ocuparam a terra abandonada e criaram o Quilombo Campo Grande...[A]gora...enfrentando ameaça de despejo, surgida 20 anos depois de transformarem a terra abandonada em terra produtiva...[O]...despejo de 450 famílias do quilombo, organizadas pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na cidade de Campo do Meio, em Minas Gerais, interessa diretamente à empresa Jodil Agropecuária, pertencente ao empresário João Faria, maior produtor individual de café do mundo que vende para, entre outras, a suíça Nestlé...[O]...juiz Walter Zwicker Esbaille Júnior, da Comarca de Campos Gerais (MG), determinou o despejo no último dia 7...[E]m 20 anos, os agricultores investiram cerca de R$ 20 milhões em estrutura e nas plantações. Hoje produzem cerca de 510 toneladas de café Guaií por ano. O despejo também deve prejudicar também a cidade, já que muitos alimentos comercializados são produzidos no quilombo...[A]s dívidas da usina falida chegam a R$ 300 milhões. Neste valor estão inclusos os direitos trabalhistas de funcionários...[O]...governo estadual chegou a decretar a compra da terra para reforma agrária, mas não concluiu o pagamento. Há quatro meses tentou fazer um novo acordo, que não foi aceito pela empresa...

Read the full post here

Article
+ Português - Hide

Author: Organização da campanha No Meu Bule Não, Facebook, (Brazil)

No Meu Bule Não é uma campanha independente que tem por objetivo conscientizar a população quanto à questão do despejo das 450 famílias do Quilombo Campo Grande, em Minas Gerais através do boicote das empresas e marcas de café que se beneficiarão financeiramente desse despejo...[T]alvez essa seja uma ação solitária que não obtenha nenhum tipo de resultado concreto no que diz respeito ao despejo dessas famílias. No entanto, pode fortalecer um trabalho de conscientização do consumo de produtos que tenham respeito ao produtor rural, à origem e ao destino de suas matérias primas e de seu retorno às comunidades produtoras...[E]ssa campanha é inspirada no Boycott, Divestment and Sanctions (BDS) Movement que atua em frentes como a de pressionar artistas a não tocarem, expôrem e exibirem em Israel. Outro movimento, o FOA (Friends of Al Aqsa) têm uma campanha chamada #NotInMyFridge que consiste em boicote à produtos da Coca-Cola, que produz em território ocupado na Palestina...[O]...chamado aqui é para que as pessoas fotografem ou façam vídeos mostrando que em suas casas cafés produzidos por empresas que compram café da Terra Forte, empresa de João Faria da Silva, não têm mais espaço na despensa, não estarão mais em suas mesas...[É]...importante o uso da hashtag #NoMeuBuleNão em suas postagens...[I]mportante é boicotar, espalhar a verdade, combater a injustiça, exercer cidadania e consumo consciente...[F]orça para o Quilombo Campo Grande.

#SalveQuilombo

#ResisteCampodoMeio

#NoMeuBuleNão

Read the full post here