Brasil/Global: 164 defensoras/es mortas/os por defender suas casas, terras e recursos naturais contra mineração ou agroindústria, afirma Global Witness

Author: Correio Braziliense/Agência France-Presse (Brazil), Published on: 14 August 2019

“Mais de 160 ativistas do meio ambiente foram assassinados em 2018”, 30 de julho de 2019

Pelo menos 164 ativistas ambientais foram mortos no ano passado por defender suas casas, terras e recursos naturais contra projetos de mineração, florestais ou agroindustriais, de acordo com o balanço anual da ONG Global Witness...[O]utros "incontáveis" ativistas foram silenciados em todo o mundo por meio de violência, intimidação e uso ou modificação de leis anti-manifestação. O país mais perigoso no ano passado para esses ativistas e líderes indígenas que defendem suas terras foi as Filipinas, com 30 assassinatos, segundo a organização, substituindo o Brasil no topo da lista. Em segundo aparece a Colômbia, com 24 mortes em 2018, e a Índia, com 23...[N]o Brasil, pelo menos oito ativistas envolvidos em disputas com representantes da indústria da soja morreram em 2018 apenas no estado do Pará...[A]...organização também denuncia uma "tendência preocupante" em relação à intimidação e à prisão de defensores do meio ambiente, uma semana antes de o grupo de especialistas sobre clima da ONU (IPCC) publicar um relatório sobre o uso da terra na região que deverá destacar a importância dos povos indígenas na proteção da natureza. O relatório também denuncia o papel de investidores, incluindo bancos de desenvolvimento, em projetos polêmicos, e cita algumas empresas acusadas de facilitar a violação dos direitos...

 

Read the full post here