Brasil: Sônia Guajajara pressiona UE a bloquear acordo com Brasil por mortes de indígenas como o assassinato de Paulo Paulino Guajajara supostamente por madeireiros

Brasil assassinato Paulo Paulino Guajajara_credit_Patrick Raynaud_http://apib.info/files/2019/11/photo_2019-11-02_10-10-39-1080x675.jpg

Sônia Guajajara pressiona UE a bloquear acordo com Brasil por mortes de indígenas após assassinato de guardião florestal Paulo Paulino Guajajara, no Maranhão. O crime ocorreu após o grupo dos agentes florestais indígenas “Guardiões da Floresta” ter sido emboscado por madeireiros dentro de seu próprio território, afirma a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil. Laércio Souza Silva foi gravemente ferido. Grupo de indígenas está em turnê na Europa para denunciar ataques e violência contra povos indígenas no Brasil, considerando grave contexto de constantes ataques, inclusive nas falas do presidente Bolsonaro.

Get RSS feed of these results

All components of this story

Article
+ Português - Hide

Author: Fabio Teixeira, Terra (Brazil)

"ENTREVISTA-Sônia Guajajara pressiona UE a bloquear acordo com Brasil por mortes de indígenas", 4 de Novembro de 2019

...A Europa precisa pressionar o Brasil a acabar com os assassinatos de povos indígenas, recusando-se a assinar um grande acordo comercial, disse uma líder comunitária…[em 4 de novembro]..., depois que um jovem integrante da tribo Guajajara foi morto a tiros por madeireiros ilegais. Sônia Guajajara, chefe da Apib, que representa muitos dos 900.000 índios brasileiros, fez um apelo aos parlamentares para recusarem o acordo após o guardião indígena Paulo Paulino ter sido morto e outro ferido em uma emboscada por madeireiros ilegais na sexta-feira. "(Assinar) o acordo seria fechar os olhos para o que está acontecendo no Brasil. Seria a institucionalização do genocídio", disse ela à Thomson Reuters Foundation. Sônia afirmou que o acordo com a UE concederia aos países do Mercosul maior acesso aos mercados da União Europeia, o que poderia resultar em fazendeiros e madeireiros invadindo terras indígenas para impulsionar a produção. "Ele facilita negócios... para empresas que vão querer explorar cada vez mais estas terras indígenas", disse Sônia Guajajara, que foi candidata a vice-presidente da República na chapa do PSOL encabeçada por Guilherme Boulos. "Estamos falando muito aqui com os governos para não assinarem o acordo do jeito que está", afirmou. "Estamos plantando uma sementinha... mostrando o quanto estes territórios são importantes para o bem geral mundial." Líderes indígenas estão viajando por 12 países europeus para denunciar ataques às comunidades nativas do Brasil...

Read the full post here