Brasil: Sertanista acusa Fund. Nac. do Índio de usar coronavírus para forçar contato de isolados, ameaçados também pela mineração e agronegócio

Author: João Soares, Deutsche Welle Brasil (Brazil), Published on: 26 March 2020

"Consequência será o genocídio". Em entrevista à DW Brasil, sertanista acusa Funai de ignorar regimento e usar pandemia de coronavírus como pretexto para forçar contato com povos indígenas isolados. "Vai acontecer o que o passado já nos ensinou", 21 de Março de 2020

Uma portaria da Fundação Nacional do Índio (Funai) publicada no Diário Oficial da União na última quinta-feira (19/3) causou forte apreensão entre indigenistas. O texto concede autorização para que as 39 coordenações regionais do órgão, que estão repletas de gestores indicados politicamente, possam estabelecer contato com povos isolados por conta da pandemia do novo coronavírus. Mas, pelo regimento interno da autarquia, as coordenações regionais não têm poder para isso. Somente os técnicos das Frentes de Proteção Etnoambiental estão autorizados a acompanhar esses grupos, em casos de necessidade à sobrevivência deles...  Em entrevista à DW Brasil, o consultor internacional de políticas para povos indígenas isolados Antenor Vaz projeta um cenário de genocídio caso a medida seja colocada em prática. Para o sertanista, com mais de 25 anos de experiência em campo junto a essas populações, o episódio configura mais uma investida de grupos religiosos com representação na autarquia e outras instâncias do governo federal..."Duas frentes muito fortes ameaçam os povos isolados. Uma mira o território e tem como agentes o agronegócio, as mineradoras e as grandes empresas de infraestrutura. A outra, liderada pelas missões evangélicas proselitistas e fundamentalistas, quer as almas. Essas duas frentes se aliam e estão dentro do governo”, avalia. "Minha posição é de extrema dor por ver todo um processo de evolução, compreensão e formulação de políticas sendo jogado no lixo”.

Read the full post here