abusesaffiliationarrow-downarrow-leftarrow-rightarrow-upattack-typeburgerchevron-downchevron-leftchevron-rightchevron-upClock iconclosedeletedevelopment-povertydiscriminationdollardownloademailenvironmentexternal-linkfacebookfiltergenderglobegroupshealthinformation-outlineinformationinstagraminvestment-trade-globalisationissueslabourlanguagesShapeCombined Shapeline, chart, up, arrow, graphlocationmap-pinminusnewsorganisationotheroverviewpluspreviewArtboard 185profilerefreshnewssearchsecurityPathStock downStock steadyStock uptagticktooltiptwitteruniversalityweb
História

Brasil: Ataque à sede de mulheres Munduruku por garimpeiros é reflexo de escalada de violência contra os indígenas

Facebook/Reprodução

A sede foi vandalizada e pichada com as inscrições “Fora [Polícia] Federal” e “Fora ONG”. O nome da Associação das Mulheres Munduruku Wakoburun foi parcialmente apagado da fachada. Na calçada em frente, os invasores queimaram documentos e produtos tradicionais que eram comercializados no local.

Uma semana antes, o Ministério Público Federal pediu atuação urgente de forças federais para conter o avanço da invasão de garimpeiros na região do igarapé Baunilha, perto de Jacareacanga, com apoio até de um helicóptero. Essa nova frente em um dos poucos igarapés ainda intactos gerou temores de violência entre os mundurukus, mas até agora não houve nenhuma ação do governo federal na região.

Story Timeline