abusesaffiliationarrow-downarrow-leftarrow-rightarrow-upattack-typeburgerchevron-downchevron-leftchevron-rightchevron-upClock iconclosedeletedevelopment-povertydiscriminationdollardownloademailenvironmentexternal-linkfacebookfiltergenderglobegroupshealthC4067174-3DD9-4B9E-AD64-284FDAAE6338@1xinformation-outlineinformationinstagraminvestment-trade-globalisationissueslabourlanguagesShapeCombined Shapeline, chart, up, arrow, graphlocationmap-pinminusnewsorganisationotheroverviewpluspreviewArtboard 185profilerefreshIconnewssearchsecurityPathStock downStock steadyStock uptagticktooltiptwitteruniversalityweb
História

13 Abr 2016

Brasil: JBS e 4Buzz são acusadas de difamarem jornalista de direitos humanos & contribuírem com o aumento de ameaças e agressões ao ativista; empresas negam as acusações

Leonardo Sakamoto tem sofridos constantes ameaças e agressões físicas. É renomado e comprometido jornalista e defensor de direitos humanos, diretor da ONG Repórter Brasil, importante organização brasileira de combate ao trabalho escravo, e é também blogueiro do UOL. Sakamoto é também professor de jornalismo na PUC-SP, pesquisador visitante do Departamento de Política da New School, em Nova York, e conselheiro do Fundo das Nações Unidas para Formas Contemporâneas de Escravidão. Sakamoto sofreu mais uma vez difamação,  desta vez as acusações são contra as empresas JBS (uma das maiores empresas do mundo de processamento de carnes) e 4Buzz, que teriam promovido a disseminação de um texto difamatório contra o jornalista e ativista, por meio de anúncio pago no Google. As empresas negam as acusações. O ativista alega que a difamação contribuiu para aumentar o número de ameaças, xingamentos e até agressões físicas.

Para ler esta história em inglês, clique aqui.