abusesaffiliationarrow-downarrow-leftarrow-rightarrow-upattack-typeburgerchevron-downchevron-leftchevron-rightchevron-upClock iconclosedeletedevelopment-povertydiscriminationdollardownloademailenvironmentexternal-linkfacebookfiltergenderglobegroupshealthC4067174-3DD9-4B9E-AD64-284FDAAE6338@1xinformation-outlineinformationinstagraminvestment-trade-globalisationissueslabourlanguagesShapeCombined Shapeline, chart, up, arrow, graphlocationmap-pinminusnewsorganisationotheroverviewpluspreviewArtboard 185profilerefreshIconnewssearchsecurityPathStock downStock steadyStock uptagticktooltiptwitteruniversalityweb
História

5 Out 2018

Brasil: Min. Púb. do Trabalho recebe mais de 100 denúncias contra empresas por coagirem empregados a votarem em determinados candidatos, como por ex. Bolsonaro; Havan e Tabacos Ditália coagiram, Condor será investigada por procuradoria

See all tags

Ministérios Públicos do Trabalho receberam mais de 100 denúncias contra 23 empresas por coagirem empregados a votarem em determinados candidatos. A procuradora do Ministério Público do Trabalho de São Paulo Elisiane dos Santos alerta para o fato de que poderia haver mais denúncias mas trabalhadores/as temem perder seus empregos se o fizerem. O juiz Carlos Alberto Pereira de Castro, da 7ª Vara do Trabalho de Florianópolis (SC), determinou que a rede de lojas Havan se abstenha de pressionar seus empregados a votar no candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL), considerado por muitos acadêmicos, analistas políticos e ativistas de direitos humanos como um candidato autoritário e um risco à democracia. O juiz impôs multa de 500 mil reais caso decisão seja descumprida. Tabacos Ditália firmou termo de ajuste de conduta com o Ministério Público do Trabalho em Santa Cruz do Sul por coagir empregados a votaram também Bolsonaro. Condor será investigada por procuradoria eleitoral.

Linha do tempo