abusesaffiliationarrow-downarrow-leftarrow-rightarrow-upattack-typeburgerchevron-downchevron-leftchevron-rightchevron-upClock iconclosedeletedevelopment-povertydiscriminationdollardownloademailenvironmentexternal-linkfacebookfiltergenderglobegroupshealthC4067174-3DD9-4B9E-AD64-284FDAAE6338@1xinformation-outlineinformationinstagraminvestment-trade-globalisationissueslabourlanguagesShapeCombined Shapeline, chart, up, arrow, graphlocationmap-pinminusnewsorganisationotheroverviewpluspreviewArtboard 185profilerefreshIconnewssearchsecurityPathStock downStock steadyStock uptagticktooltiptwitteruniversalityweb

O conteúdo também está disponível nos seguintes idiomas: English, Deutsch, español, français,

Artigo

30 Mai 2022

Author:
Stefanie Dodt (NDR),
Author:
The Straits Times,
Author:
Folha de São Paulo,
Author:
La Jornada,
Author:
J. Br. avec AFP (France)

Brasil: Volkswagen é investigada por trabalho escravo e tráfico de pessoas durante ditadura no país

“Volkswagen é acusada de práticas de trabalho escravo no Brasil durante a ditadura”, 29 de Maio de 2022

O grupo alemão Volkswagen...enfrenta novas acusações relacionadas à ditadura no Brasil, mas desta vez por práticas de trabalho escravo entre 1974 e 1986...

...a Volkswagen foi intimada a comparecer no dia 14 de junho a um tribunal do trabalho em Brasília.

...um porta-voz da Volkswagen garantiu que a empresa levou este caso "muito a sério" e os "possíveis incidentes" que teriam ocorrido "e nos quais se baseiam as investigações das autoridades judiciais brasileiras".

Os fatos teriam ocorrido entre 1974 e 1986, quando vigorava a ditadura no Brasil...Os funcionários do grupo durante esse período reivindicam indenizações há vários anos, mas até agora sem sucesso.

A Volkswagen afirmou neste domingo que está levando muito a sério a investigação conduzida pelo Ministério Público sobre possíveis violações de direitos humanos no país...

…as denúncias examinadas pela Justiça brasileira alegam que a montadora utilizou "práticas análogas à escravidão" e "tráfico de pessoas" e acusam o grupo de ter sido cúmplice de "violações sistemáticas de direitos humanos".

...o projeto do grupo era construir um grande sítio agrícola nas margens do Amazonas para o comércio de carnes, a "Companhia Vale do Rio Cristalino".

...centenas de diaristas e trabalhadores temporários foram contratados por meio de intermediários para trabalhos de desmatamento em 70 mil hectares de terra.

...é provável que a direção da empresa tenha consentido com essas contratações...