abusesaffiliationarrow-downarrow-leftarrow-rightarrow-upattack-typeburgerchevron-downchevron-leftchevron-rightchevron-upClock iconclosedeletedevelopment-povertydiscriminationdollardownloademailenvironmentexternal-linkfacebookfiltergenderglobegroupshealthC4067174-3DD9-4B9E-AD64-284FDAAE6338@1xinformation-outlineinformationinstagraminvestment-trade-globalisationissueslabourlanguagesShapeCombined Shapeline, chart, up, arrow, graphlocationmap-pinminusnewsorganisationotheroverviewpluspreviewArtboard 185profilerefreshIconnewssearchsecurityPathStock downStock steadyStock uptagticktooltiptwitteruniversalityweb
História

28 Nov 2016

Parlamento Europeu adota resolução que condena violência contra Guarani-Kaiowá no Brasil & alega que empresas devem prestar contas por dano ambiental e abusos dos direitos humanos

Em 24 de Novembro de 2016, o Parlamento Europeu aprovou uma resolução condenando a violência contra os Guarani-Kaiowá no Brasil, ressaltando que “empresas deveriam prestar contas por qualquer dano ambiental e por quaisquer violações dos direitos humanos por que sejam responsáveis e que a UE e os Estados-Membros deveriam consagrar esta condição como princípio fundamental, tornando-o uma disposição vinculativa em todas as políticas comerciais…”. Além disso, insta as autoridades brasileiras a " dar prioridade à conclusão da demarcação de todos os territórios reivindicados pelos Guarani-Kaiowá e criar as condições técnicas operacionais para o efeito, tendo em conta que muitos dos assassinatos se devem a represálias no contexto da reocupação de terras ancestrais", a fim de evitar mais disputas territoriais e assassinatos ". Além da referência a vários documentos das Nações Unidas e resoluções sobre os povos indígenas, a presente resolução também se refere ao relatório de 2016 da organização brasileira que trabalha na promoção da proteção dos direitos indígenas, o Conselho Indigenista Misionário (CIMI).

Para ler esta história em inglês, clique aqui.

Linha do tempo