abusesaffiliationarrow-downarrow-leftarrow-rightarrow-upattack-typeburgerchevron-downchevron-leftchevron-rightchevron-upClock iconclosedeletedevelopment-povertydiscriminationdollardownloademailenvironmentexternal-linkfacebookfiltergenderglobegroupshealthC4067174-3DD9-4B9E-AD64-284FDAAE6338@1xinformation-outlineinformationinstagraminvestment-trade-globalisationissueslabourlanguagesShapeCombined Shapeline, chart, up, arrow, graphlocationmap-pinminusnewsorganisationotheroverviewpluspreviewArtboard 185profilerefreshIconnewssearchsecurityPathStock downStock steadyStock uptagticktooltiptwitteruniversalityweb
Artigo

9 Nov 2021

Autor/autora:
UOL

Sociedade civil alerta na COP26 que trabalho escravo alimenta mudança do clima

Grupo Especial de Fiscalização Móvel/ME

“Trabalho escravo alimenta mudança do clima, alerta sociedade civil na COP26”, 08 de Novembro de 2021

"Trabalho escravo é frequentemente encontrado em setores destruidores do clima. Em muitas partes do mundo, modelos de desenvolvimento baseados no extrativismo e no agronegócio voltados para a exportação estão piorando a vulnerabilidade à escravidão moderna ao monopolizar a terra e recursos naturais, poluindo o solo, o ar e a água, destruindo ecossistemas e causando migração."

O alerta está em documento assinado por 58 organizações da sociedade civil e universidades que atuam nos cinco continentes, como a Anti-Slavery International e o Freedom Fund, enviado a Alok Sharma, presidente da COP26, e Patricia Espinosa, secretária-executiva da ONU para mudanças climáticas.

Elas pedem que a cúpula das Nações Unidas trate da relação entre a mudança climática e a escravidão contemporânea, recomende aos governos que reconheçam as ligações entre ambas e a migração induzida pelo clima e garantam condições decentes para os trabalhadores do setor de energia renovável, muitas vezes vítimas desse tipo de exploração.

...há um perverso ciclo vicioso, em que escravizados são levados a destruir florestas e ecossistemas, o que contribui com as mudanças climáticas, que, por sua vez, trazem secas, inundações e desertificação, aumentando a vulnerabilidade social e gerando refugiados ambientais...levando mais pessoas a se tornarem vítimas do trabalho escravo.

...Existe uma conexão intrínseca entre destruição da floresta amazônica e trabalho escravo. O exemplo do município de São Félix do Xingu, no Pará, é representativo disso: ele é um dos campeões nacionais em área desmatada e, ao mesmo tempo, campeão nacional em número de operações de resgate de trabalho escravo e um dos campeões em número de rebanho de gado.

…Desde o início do atual governo, houve forte atuação para enfraquecer os órgãos e sistemas de controle e monitoramento, o que beneficiou grupos de apoiadores do governo ligados ao extrativismo ou à produção agropecuária.

...As organizações sociais, universidades e entidades empresariais que apresentaram o documento na COP26, pedindo a atenção de governos para abordarem a relação entre as mudanças climáticas e a escravidão contemporânea, trouxeram recomendações. Entre elas:

Reconhecer a ligação entre a migração induzida pelo clima e a escravidão e, com isso, incluí-la como uma ação nas metas climáticas, criando provisão de recursos financeiros para combatê-las; Incluir a migração induzida pelo clima e ações antiescravagistas nas metas de cada país para combate às mudanças climáticas; e aproveitar a oportunidade de uma transição para a energia renovável sustentável para fornecer trabalho decente a todos os trabalhadores do setor de energia renovável. Por exemplo, escravidão contemporânea é usada na extração de minerais - matéria-prima para painéis solares e cadeias de fornecimento de energia renovável…

Story Timeline