Bolívia & Brasil: Relatório e artigos alegam que Bunge, Burger King, Cargill e ADM estão envolvidas no aumento de desmatamento & impactos sobre mudanças climáticas; empresas comentam

Brazil cerrado_credit_Rosario Xavier Pixabay_https://cdn.pixabay.com/photo/2015/05/21/19/57/cerrado-777768_960_720.jpg

O Centro de Informação sobre Empresas e Direitos Humanos convidou as empresas Bunge, Burger King e Cargill a responder sobre alegações de falta de transparência e desmatamento em terras da Bolívia e do Brasil. Convidou também a Archer Daniels Midland/ADM para responder sobre alegações de envolvimento no desmatamento de tais terras. Bunge, Cargill e Archer Daniels Midland responderam. Burger King não respondeu.

Para ler esta história em inglês, clique aqui. Para ler em espanhol, clique aqui.

Receba RSS dos resultados

Todos os componentes dessa história

Não resposta
17 April 2017

Burger King não respondeu

Artigo
29 March 2017

Bolívia & Brasil: Relatório da Mighty Earth alega que Bunge, Burger King, Cargill e ADM estão envolvidas no aumento de desmatamento & impactos sobre mudanças climáticas; empresas comentam

Autor: Hiroko Tabuchi, Claire Rigby e Jeremy Whitefeb, The New York Times (US)/Instituto Humanas Unisinos/Adital(Brazil)

“Desmatamento da Amazônia, que já esteve sob controle, retorna com força”, 3 de março de 2017

...Cargill viajou até...[a]...Bolívia, ao extremo sul da vasta bacia do Rio Amazonas, levando uma oferta tentadora. A gigante americana do agronegócio queria comprar soja de residentes menonitas...A Cargill confirmou os relatos dos residentes das colônias, e disse que a empresa ainda estava avaliando se ela compraria da comunidade. Essa decisão dependeria de...estudo da produtividade da área e dos títulos de propriedade, disse Hugo Krajnc, chefe de assuntos corporativos da Cargill para o Cone Sul...“Mas se um fazendeiro tiver queimado sua floresta, não vamos comprar desse produtor”, ele disse. Uma década depois de o movimento “Salve a Amazônia” ter forçado a adoção de mudanças que desaceleraram de forma drástica o desmatamento em toda a bacia amazônica, a atividade está voltando com tudo em algumas das maiores áreas de floresta no mundo. Esse ressurgimento, instigado pelo apetite crescente que o mundo tem por soja e outros cultivos, desperta o temor de que haja...retrocesso nos esforços para se preservar a biodiversidade e...combate à mudança climática...De acordo com análises da Mighty Earth, as áreas de Cerrado brasileiro nas quais a Cargill opera tiveram mais de 1.300 km² de desmatamento entre 2011 e 2015. A Mighty Earth também associou a Bunge, outra gigante agrícola, a mais de 5.665 km² entre 2011 e 2015. Na Bolívia, onde não há um mapeamento de cadeia logística disponível, a Mighty Earth enviou funcionários para áreas onde a Cargill opera. A organização usou drones para registrar o desmatamento de florestas e savanas em áreas onde a Cargill tem silos...

Leia a postagem completa aqui

Artigo
29 March 2017

Bolívia & Brasil: Relatório da Mighty Earth alega que Bunge, Burger King, Cargill e ADM estão envolvidas no aumento de desmatamento & impactos sobre mudanças climáticas; empresas comentam

Autor: Marisa Bellantonio, Glenn Hurowitz, Anne Leifsdatter Grønlund e Anahita Yousefi, Rainforest Foundation Norway e Mighty Earth

...[O]...Burger King omite muita coisa:...não conseguiu adotar nenhuma política séria para proteger os ecossistemas nativos na produção de seus alimentos...[R]ecusou pedidos de organizações da sociedade civil para se comprometer a comprar apenas de fornecedores que não tenham envolvimento com a destruição das florestas ou fornecer informações sobre a origem de seus produtos...[R]ecebeu a pior avaliação possível...na classificação da Union of Concerned Scientist, que avalia o desmatamento causado pelos maiores produtores de carne...Para denunciar a falta de transparência do Burger King e identificar o desmatamento ligado aos gigantes dos agronegócios na cadeia de suprimentos da empresa, utilizamos mapeamento por satélite, ferramentas de análise da cadeia de suprimentos, entrevistas com produtores de soja e uma extensa pesquisa de campo...[N]o Brasil e na Bolívia,...a produção de soja em escala industrial está alimentando o desmatamento em massa...Cargill, Bunge e ADM compram grãos, constroem silos e estradas, fornecem fertilizantes aos agricultores e até financiam operações de limpeza de terras...Cargill e a Bunge são...[as duas]...empresas de soja mais ligados ao desmatamento...[:]...compram soja de fazendeiros...[E]...financiam estradas e outras infraestruturas e fornecem fertilizantes e outros recursos aos agricultores, o que lhes atribui um papel direto no desmatamento. A Bunge é a empresa com maior participação no desmatamento do Cerrado nos últimos cinco anos, seguida pela Cargill...[O]...agronegócio têm tido...longa história de ocupação de terras, destruição e violência...[M]ais ativistas ambientalistas...[foram]...mortos no Brasil que em qualquer outro país...A maioria dos assassinatos ocorreu nas regiões com maior proporção de terras ocupadas por fazendas de gado e plantações de soja...A Cargill e outros comerciantes também estão ligados à devastação...na Bolívia...Mais de 80%...[das]...emissões...[de gases de efeito estufa]...provêm do desmatamento...As populações locais e indígenas muitas vezes sofrem as consequências do desmatamento...Produtores de soja, fazendeiros e indivíduos com interesses madeireiros ilegais têm frequentemente utilizado a violência para expulsar povos, como os Guarani, de suas terras ancestrais...

[Há menção ao McDonald's, Wal-Mart e Wendy's]

Leia a postagem completa aqui

Artigo
29 March 2017

Bolívia & Brasil: Relatório da Mighty Earth alega que empresas de alimentação não fazem o suficiente para prevenir desmatamento nas áreas onde operam

Autor: Jornal do Brasil (Brazil)

“'The Guardian': Burger King utiliza ração animal produzida em terras desmatadas do Brasil e Bolívia-Agricultores realizaram queimadas para fornecedores de soja da gigante de fast food”, 2 de março de 2017

...The Guardian afirma que o grupo Mighty Earth diz que...[a]…cadeia de hambúrgueres Burger King tem comprado ração animal produzida em plantações de soja esculpidas pela queima de florestas tropicais no Brasil e na Bolívia, de acordo com...[seu]...novo relatório...Glenn Hurowitz, CEO da Mighty Earth, disse: "...Bunge e Cargill fornecem para Burger King e outros grandes vendedores de carne com grãos. McDonald's, Subway e KFC não são perfeitos, mas eles estão fazendo muito mais para proteger as florestas. Se o Burger King não responder imediatamente às pessoas que querem saber de onde vem sua comida, estas pessoas devem comprar em outro lugar "....Os ativistas contestam que a Cargill se recusou a estender a moratória da soja para além da Amazônia, com sua associação comercial citando a falta de uma "situação de crise". Burge também não respondeu ao jornal britânico...Investidores que representam US $ 617 bilhões em ativos enviaram nesta terça-feira uma carta à Cargill, à Bunge e a várias cadeias de hambúrgueres, nas quais "exigem que as empresas reafirmem e aumentem seu compromisso sobre o desmatamento de areas específicas na América Latina".

Leia a postagem completa aqui

Resposta
29 March 2017

Resposta da Archer Daniels Midland/ADM

Autor: Archer Daniels Midland/ADM (US)

[Resposta da Archer Daniels Midland/ADM disponível apenas em inglês. Veja abaixo]

…ADM has long been a signatory of the Soy Moratorium, and we are glad to have a played a part in its ongoing, successful protection of the Amazon Biome.  ADM’s No-Deforestation Policy was created in 2015, and we have been working with our partner The Forest Trust to implement transparency and traceability within our palm and soy supply chains…ADM is committed to its No Deforestation policy implementation.  We have begun the process of engaging industry associations, NGOs, academia, and other[s]…in an open and transparent way.  We are focused on proactive efforts to help ensure soy is legally sourced. Initiatives that focus on continuous improvement, such as ADM Responsible Soy and the Doing it Right program, promote the benefits of introducing better agricultural practices and legal compliance inside the farm. From grower to consumer, everyone within the supply chain plays a vital role in protecting sensitive biomes.  We remain supportive of an industry-wide approach that can provide soy growers, and everyone along the supply chain, with a transparent and vetted method that provides the confidence to remain compliant with local law, make infrastructure investments, satisfy stakeholders, and protect sensitive biomes.  We will continue to work toward transparency and traceability in our supply chain according to our No-Deforestation Policy as outlined in our Soy Action Plan.

Baixe o documento inteiro aqui

Resposta
29 March 2017

Resposta da Bunge

Autor: Bunge (US)

[Resposta da Bunge disponível apenas em inglês. Veja abaixo]

Regarding the Mighty report, it does not provide adequate context…Most land use change is not directly related to the crops Bunge buys. According to Global Forest Watch, soy covers 25% of land cleared since 2011 in the MATOPIBA region, where recent deforestation has been most prevalent. Additionally, our market share for the municipalities where we operate silos in the region is only 20%. What the report gets right is that this issue cannot be addressed by one company. More companies should adopt zero deforestation commitments, apply controls to block crops grown in illegally cleared areas from entering their supply chains, report publicly on progress and collaborate with civil society on common tools. Bunge has taken all of these steps….Bunge has been actively working on reducing deforestation in key biomes for over a decade. Our work has included participation in the Soy Moratorium, support for the creation of biodiversity corridors in the Cerrado…Bunge has blocked purchases from farmers in recent years…[D]eforestation is a complex problem related to global market demand, economic development, property rights and a lack of sufficient compensation for land owners…

Baixe o documento inteiro aqui

Resposta
29 March 2017

Resposta da Cargill

Autor: Cargill (US)

...A Cargill está inabalável quanto ao seu compromisso em reduzir pela metade o desmatamento até 2020 e eliminá-lo até 2030, e temos orgulho da nossa história de combate ao desmatamento como uma demonstração do nosso propósito de ser a empresa líder em nutrir o mundo de forma segura, responsável e sustentável. Com o nosso tamanho, experiência e capacidade na cadeia de suprimentos, estamos empenhados em encontrar soluções práticas e escaláveis, reconhecendo que haverá escolhas difíceis e trade-offs ao longo do caminho. Reconhecemos que esta é uma jornada longa e complexa, mas estamos nos associando aos clientes, agricultores, governos e grupos da sociedade civil para enfrentar este desafio, que não é fácil de resolvermos e requer tempo e trabalho duro em campo, fazenda por fazenda e hectare por hectare, para termos um impacto duradouro e garantirmos a inclusão social das comunidades nas quais atuamos. Avaliamos continuamente os produtores que fornecem soja para a Cargill nas áreas apontadas pelo relatório da ONG...[A]...Cargill contesta os dados apresentados referente à presença da empresa no Cerrado brasileiro e ao número total de desmatamentos na região...Em 2015, um ano depois de assinar a Declaração de Nova York sobre as Florestas (NYDF), a Cargill lançou sua Política para Florestas... 

Baixe o documento inteiro aqui