Brasil: Art. dos Povos Indígenas do Brasil e Mobilização Nac. Indígena do Brasil divulgam reflexões políticas acerca dos perigos de projetos do gov. Bolsonaro em seus primeiros meses

Autor: XV Acampamento Terra Livre, Articulação do Povos Indígenas do Brasil (APIB), Mobilização Nacional Indígena (MNI), (Brazil), Publicado em: 2 May 2019

“A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) e a Mobilização Nacional Indígena do Brasil (MNI) divulgaram o texto base do ATL 2019, um guia político que reflete as discussões dos povos indígenas desde as aldeias até a capital federal”, 24 de abril de 2019

Há 519 anos, nós, povos indígenas do Brasil, sofremos golpes e mais golpes...[O]...governo Bolsonaro recorre a medidas jurídico-administrativas inconstitucionais...que legitimam e reforçam o uso da violência...contra os nossos povos e comunidades...[P]retende inviabilizar de vez o reconhecimento e a demarcação das terras indígenas...[R]eitera a visão de que os povos indígenas não precisam de terras, a não ser que assumam o viés produtivista do agronegócio e disponibilizem os seus espaços de vida para o mercado de terras ou para o arrendamento, usurpando assim o direito de posse e usufruto exclusivo assegurado pela Constituição Federal...[A]...visão integracionista e, pior, assimilacionista e divisionista do governo Bolsonaro serve também ao seu interesse de acabar com as políticas públicas diferenciadas, duramente conquistadas por nós nos últimos 30 anos...[O]...projeto governamental...se materializa dia a dia ao negar...o direito de ir e vir não apenas em espaços institucionais, mas também em vias públicas...[T]em aumentado...a violência contra nossas comunidades, a criminalização de nossas lideranças e as práticas ilícitas e criminosas de invasão, loteamento, venda de lotes, desmatamento, roubo de madeira, garimpagem e tentativas para arrendamento de nossos territórios...Estamos aqui mobilizados para dizer ao Brasil e ao mundo que estamos vivos, que continuamos em luta pela conquista e defesa dos nossos territórios e de políticas públicas que respeitem nossos modos de ser, que resistiremos custe o que custar...

Leia a postagem completa aqui