Brasil: Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) divulga lista de empresas que extraíram recursos de áreas protegidas e propõe boicote, inclui comentários da AgroSB, da JBS, da Tradelink, da Bunge, da ABC Inco e do Frigorífico Xinguara

Autor: Nícollas Witzel, Revista Época (Brazil), Publicado em: 29 April 2019

“Entidade nacional divulga lista de 56 supostos infratores que inclui grandes empresas do agronegócio brasileiro”, 29 de abril de 2019

 

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), associação que representa diversas etnias, divulgou, pela primeira vez, uma relação de empresas estrangeiras que fizeram comércio com agentes do agronegócio brasileiro acusados de atuar em áreas de conflitos de terras indígenas e de extrair recursos de áreas protegidas, além de colecionar multas por danos ambientais...[A]...intenção da Apib é propor um boicote a esses negócios e, posteriormente, apresentar os dados ao Parlamento Europeu, cobrando providências...[O]...relatório analisa as principais multas por desmatamento ilegal cometidas por 56 empresas brasileiras, que foram cobradas pelo Ibama de 2017 a 2019. Foram identificadas 27 empresas estrangeiras importadoras de commodities fazendo negócios com madeireiras, frigoríficos e agricultores de soja, além de doações para partidos políticos ligados ao agronegócio...[C]onstam...[:]...Agropecuária Santa Barbara Xinguara (AgroSB), a Agropecuária Rio da Areia LTDA e os três principais processadores de carne bovina no Brasil: JBS, Marfrig e Minerva...[O]...relatório...também cita a Tradelink Madeiras, subsidiária do Grupo Tradelink...[“O]s comerciantes da Europa e da América do Norte podem contribuir cortando laços com esses maus atores brasileiros, dessa forma enviariam um sinal a Jair Bolsonaro de que o resto do mundo não irá tolerar suas políticas”, disse Eloy Terena, assessor jurídico da APIB. “Se essas empresas seguirem apoiando as empresas brasileiras, devem também assumir a culpa pela destruição das florestas tropicais e do abuso contra os povos indígenas”...[S]egundo dados do Greepeace e do grupo Chain Reaction Research, os principais propulsores do desmatamento na Amazônia são as indústrias da pecuária e da soja...[entre elas]...ABC Indústria e Comércio SA, JJ Samar Agronegócios Eireli, Uniggel Proteção de Plantas Ltda, Cargill e Bunge Ltda...

Leia a postagem completa aqui

Empresas relacionadas: Bunge Cargill JBS Marfrig Alimentos Minerva Foods Tradelink