Você será redirecionado/a para a história na qual essa parte de conteúdo se encontra, para que você possa lê-la dentro do contexto. Por favor, clique no link seguinte se não for direcionado/a automaticamente dentro de alguns segundos:
pt/brasil-ass-de-favelas-de-são-josé-dos-campos-rede-jubileu-sul-brasil-denunciam-violações-de-direitos-humanos-em-projeto-habitacional-financiado-pelo-banco-interamericano-de#c171865

Brasil: Ass. de Favelas de São José dos Campos & Rede Jubileu Sul Brasil denunciam violações de direitos humanos em projeto habitacional financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento

Autor: Associação de Favelas de São José dos Campos e Rede Jubileu Sul, Publicado em: 19 April 2018

"Violações de direitos humanos no Jardim São José 2, São José dos Campos, Brasil”, 31 de janeiro de 2018

A Associação de Favelas de São José dos Campos juntamente com a Rede Jubileu Sul Brasil vem acompanhando os moradores removidos dos Bairros Vila Nova Tatetuba, Caparaó, e Nova Detroit, para o Bairro Jardim São José 2. Desde os primeiros anos as famílias que ali residem relatam que sofrem constantes violações dos seus direitos fundamentais, que é o direito ao trabalho, lazer, saúde, educação e um transporte digno. Para além, sofrem com a violência estabelecida pelo tráfico de droga e a polícia militar que entram em conflito constantemente colocando em risco a população que ali vive...Contudo, o que houve foram remoções forçadas de 453 famílias que moravam na região central da cidade para o novo bairro construído com tal financiamento, Jardim São José II, que fica numa área muito distante da área original de moradia dessas famílias, cerca de 16 km, e com transporte público bem reduzido, apenas uma linha de ônibus...Ressaltamos que no local e muito próximo de onde as famílias viviam e de onde foram removidas com a justificativa de se tratar de área de risco8, instalaram-se pouco tempo depois das remoções empresas…[C]erca de 40 famílias resistiram às remoções, não aceitaram assinar os termos de remoção e viveram a partir de 2003, após serem expulsas de seus domicílios com forças do batalhão de choque, “em moradias improvisadas em um galpão do antigo sistema ferroviário federal e em casas alugadas”...[A]...comunidade que vive hoje no Jardim São José 2 deseja...reparações e melhores condições de vida por tantas violações de direitos humanos…[O]s moradores continuam a relatar que sofrem as consequências das remoções forçadas cotidianamente, vivendo em condições de pobreza e violência extremas…

[Há menção ao Carrefour e à Nissan]

Baixe o documento inteiro aqui