Brasil: Campanha pede que redes de fast-food boicotem soja brasileira proveniente de áreas desmatadas, inclui comentários da Burger King, Cargill e outras

Autor: Jim Reed e Joseph Lee, BBC News (Brazil), Publicado em: 16 October 2019

“Campanha britânica pede a redes de fast-food boicote contra soja brasileira de área desmatada”, 09 de outubro de 2019

Ambientalistas passaram a cobrar que as maiores redes de fast food do Reino Unido boicotem a soja exportada pelo Brasil e usada para alimentar os animais transformados em comida por essas empresas. Em 2018, os britânicos importaram quase 240 milhões de libras em soja (ou R$ 1,2 bilhão) do Brasil...[A]penas 14% desse total têm certificação de "desmatamento zero"...[N]o entendimento de pesquisadores e ambientalistas, acordos como a moratória da soja têm mais eficácia do que leis justamente por serem pactos firmados entre os setores envolvidos - e não regras verticais que precisam de fiscalização de órgãos públicos...[E]m outubro de 2017, 23 companhias britânicas, incluindo a varejista Tesco e o braço britânico da rede multinacional de lanchonetes McDonald's e, assinaram o Manifesto do Cerrado, que reconhecia a necessidade de evitar o desmatamento. Por outro lado, a Cargill, principal importadora de soja brasileira no Reino Unido e intermediária entre agricultores e empresas alimentícias, ainda não assinou o documento. A empresa é responsável por 78% da soja oriunda do Brasil, segundo dados da Trase.Earth, que atua ao lado de ONGs. A Cargill afirmou à BBC News que o número é impreciso e inflado. Em julho, a Cargill afirmou a fornecedores brasileiros que não apoiaria um boicote à soja plantada em áreas recém-desmatadas no Cerrado, posição que irritou ambientalistas. "Continuamos comprometidos com a moratória da soja na Amazônia, mas acreditamos que essa não é a melhor solução para o Cerrado", afirmou uma porta-voz da empresa. "Ao empurrar os agricultores para outros compradores, as mesmas práticas continuarão."...Tesco, Sainsbury´s e Marks & Spencer anunciaram metas de "desmatamento zero" em suas cadeias de fornecedores até 2020, mas elas devem ter dificuldade para chegar a esse patamar...[A]...rede Burger King foi alvo de críticas ao estabelecer uma meta de desmatamento zero em sua cadeia de fornecimento para 2030, "considerada fraca", em razão do prazo mais extenso. Procurada pela BBC News, a empresa disse ter escrito para seus fornecedores de carne reafirmando que não aceita produtos oriundos de áreas desmatadas e que a minoria de sua cadeia de fornecimento no Reino Unido usa soja na pecuária...

Leia a postagem completa aqui

Empresas relacionadas: Burger King Cargill Marks & Spencer McDonald's Sainsbury's Tesco