Você será redirecionado/a para a história na qual essa parte de conteúdo se encontra, para que você possa lê-la dentro do contexto. Por favor, clique no link seguinte se não for direcionado/a automaticamente dentro de alguns segundos:
pt/brasil-eleições-2018-democracia-em-risco-e-implicações-para-direitos-humanos-e-empresas#c178413

Brasil: Comissão Pastoral da Terra publica nota se posicionando sobre a conjuntura brasileira atual

Autor: Comissão Pastoral da Terra-CPT (Brazil), Publicado em: 22 October 2018

“NOTA PÚBLICA: Com as armas da solidariedade e da justiça, resistamos à mentira, hipocrisia e barbárie!”, 16 de outubro de 2018

A Diretoria e a Coordenação Executiva Nacional da CPT assumem como seu dever tomar posição...nesta hora em que os destinos de nossa nação estão sob graves riscos...[U]ma onda nacional baseada no ódio, na irracionalidade, na mentira e na hipocrisia, está prestes a lançar o Brasil num novo tempo de barbárie...[N]este tempo sombrio, a manipulação das consciências atinge um grau inédito por meio da difusão permanente de falsas notícias...[E]ssa difusão de mentiras obedece a um único objetivo: descontruir os avanços sociais conquistados nos últimos anos e colocar no seu lugar retrocessos que agradam às elites nacionais e o mercado...[O]s mais pobres os estão sentindo na pele com o alto grau de desemprego e de precarização das condições de trabalho...[O]...que mais nos preocupa é o crescimento acelerado da violência...[A]...pregação contra o direito de minorias – quilombolas, indígenas, LGTBQs, – a favor da compra de armas por “pessoas de bem”, de defesa da ditadura militar e seus torturadores, de propor a condecoração de policiais e militares responsabilizados pelo assassinato de pessoas, da redução da idade penal, de transformar a luta pela terra em atos de terrorismo, e a proposta de “botar um ponto final em todos os ativismos no Brasil”, é um discurso claro de desrespeito aos direitos humanos, de desapreço pela democracia...[M]ais de 60 pessoas sofreram violência física entre os dias 1º e 10 de outubro de 2018, sendo mais de 50 praticadas por apoiadores de Bolsonaro...[S]e quer apagar a memória de quem lutou em defesa dos direitos dos mais fracos, da justiça e da dignidade, como foi a destruição de placas no Rio de Janeiro que lembravam a vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada no início deste ano...[A]s lideranças do campo, que lutam pela terra e em defesa dos territórios dos povos originários e comunidades tradicionais, estão sendo massacradas...[Q]ueremos uma nação onde o diálogo, o respeito e a democracia floresçam, sejam reafirmados e consolidados, ou uma nação onde o ódio, a violência e a barbárie imperem e comprometam a nossa e as futuras gerações?

Leia a postagem completa aqui