Brasil: Sociedade civil denuncia à ONU e OEA assassinatos de 24 defensores em 2016 envolvendo madeireiros ilegais, empresas de segurança privada & outros

Autor: Camila Boehm, Agência Brasil (Brazil), Publicado em: 31 May 2016

“Pelo menos 24 defensores de direitos humanos foram mortos em 4 meses, diz comitê”, 24 de maio de 2016

Pelo menos 24 defensores de direitos humanos foram assassinados no Brasil nos quatro primeiros meses deste ano...:...21 defendiam direitos agrários e faziam parte de movimentos e organizações de luta pela terra. Os dados foram levantados...[pela 1a vez]…pelo Comitê Brasileiro de Defensores e Defensoras de Direitos Humanos –...formado por entidades da sociedade civil, como...Artigo 19, Justiça Global,...Comissão Pastoral da Terra (CPT) e...Conselho Indigenista Missionário...[E]...enviado[s em março e abril]...à Organização das Nações Unidas...e à Organização de Estados Americanos...[para]...pressionar o governo brasileiro na proteção dos defensores e na responsabilização dos culpados...Em...2015, foram registrados 50 assassinatos no país relacionados a conflitos fundiários...Entre os assassinatos...estão o de quatro indígenas do povo Guajajara,...no Maranhão...[que]...protesta contra madeireiros ilegais que exploram a área indígena... [M]ortes de Vilmar Bordim...e Leomar Bhorbak..., mais sete sem-terra ficaram feridos por disparos de arma de fogo...[. O MST acredita que policiais e seguranças privados da empresa Araupel começaram os disparos. A polícia contesta esta versão]...[O]…MST disse...que dois integrantes tiveram a prisão preventiva decretada, enquanto estavam...no hospital, após serem baleados pelas costas...[e]...não tiveram acesso a advogado no momento em que estavam hospitalizados...

Leia a postagem completa aqui