Brasil: Empresas e fundos de investimentos cobram de Bolsonaro medidas para proteger o Meio Ambiente

Gerentes de fundos de países europeus, asiáticos e sul-americanos expressaram o temor de que o governo do presidente Jair Bolsonaro esteja usando a crise sanitária da Covid-19 para avançar na desregulamentação ambiental, o que poderia "comprometer a sobrevivência da Amazônia".  

Preocupados com o impacto financeiro do desmatamento e com as violações dos direitos dos povos indígenas, investidores afirmam que investir no Brasil pode implicar em potenciais consequências para os riscos de reputação, operacionais e regulatórios de seus clientes e empresas investidoras.

Receba RSS dos resultados

Todos os componentes dessa história

Artigo
21 July 2020

Brasil: Estudo aponta que 20% da soja produzida na Amazônia e Cerrado e exportada para União Europeia tem origem no desmatamento ilegal

Autor: El País

“Um quinto das exportações de soja da Amazônia e Cerrado à UE tem rastro de desmatamento ilegal”, 16 de Julho de 2020

Estudo publicado na revista 'Science' por grupo de pesquisadores do Brasil, Alemanha e EUA identificou os produtores brasileiros responsáveis pela "soja contaminada"

...revista científica Science revela que, atualmente, 20% da soja brasileira produzida na Amazônia e no Cerrado exportada anualmente para a União Europeia (UE) podem ter saído de áreas de desmatamento ilegal. Para expor as “maçãs podres” do agronegócio, pesquisadores do Brasil, Alemanha e Estados Unidos desenvolveram um software de alta potência ―utilizando dados públicos e mapas― para analisar 815.00 propriedades rurais dos dois biomas e identificar as áreas de desmatamento ilegal recente associadas à produção de soja e carne bovina.

Os números revelados pelo levantamento corroboram com os dados do desmatamento crescente na Amazônia, que atingiu em junho deste ano a maior destruição registrada em cinco anos, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). A publicação do estudo coincide com um momento de forte cobrança de investidores estrangeiros por ação mais efetiva do Governo de Jair Bolsonaro contra a destruição da floresta...

“É fundamental que a Europa use seu poder comercial e de compra para reverter esse trágico desmantelamento da proteção ambiental no Brasil e seus impactos no clima do planeta, nas populações locais e nos valiosos serviços ecossistêmicos que o país fornece”, afirma Britaldo Soares-Filho da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e coautor do artigo. Ele defende que, com a pesquisa, os legisladores em Bruxelas poderão avaliar melhor a dimensão do problema da produção brasileira de soja e carne.

Os pesquisadores também apontaram que cerca de 45% das propriedades rurais da Amazônia não têm o mínimo de reserva legal exigida pelo Código Florestal ou não respeitaram as regras de conservação de Área de Preservação Permanente. No Cerrado, cerca de 48% das propriedades não respeitam essas regras...

Leia a postagem completa aqui

Artigo
21 July 2020

Brasil: Pressão de investidores faz com que Marfrig comece a rastrear gado

Autor: Folha de São Paulo

“Marfrig rastreará gado para se blindar de boicote do exterior”, 19 de Julho de 2020

Iniciativa ocorre em meio à pressão de investidores contra desmatamento

A pressão de importadores e investidores sobre empresas brasileiras cresce na tentativa de barrar a produção na Amazônia. Para evitar boicote, como o feito à indústria do couro, companhias buscam dar respostas. Uma das primeiras a se movimentar é a Marfrig. A empresa deverá adotar a rastreabilidade de gado.

A companhia não confirmou oficialmente a informação. Porém, a empresa marcou para esta quinta-feira (23) o lançamento de um compromisso com o desmatamento zero e a rastreabilidade. A intenção é comprovar que a origem da proteína servida nas mesas da Europa e das maiores economias não saiu de área desmatada. Com isso, evita-se entrave à exportação.

No mercado, a avaliação é que, se uma empresa adotar o mecanismo de rastreabilidade, outras terão de seguir a tendência. A medida é uma exigência de mercados compradores. A preocupação ganha força na Europa —entre 25% e 40% da carne importada pela União Europeia sai do Brasil.

A iniciativa da segunda maior processadora de carne bovina do mundo ocorre em meio a restrições sofridas por outros produtos por causa da gestão ambiental do governo Jair Bolsonaro...

Leia a postagem completa aqui

Item
7 July 2020

Carta de 38 CEOS brasileiros a Mourão pede combate a desmatamento. Pela 1ª vez no governo Bolsonaro, líderes empresariais se unem contra a devastação e pedem ações socioambientais efetivas

Autor: Direto da Ciência

...38 grandes empresas brasileiras e estrangeiras e de quatro entidades setoriais do agronegócio, do mercado financeiro e da indústria...enviaram uma carta aberta ao vice-presidente Hamilton Mourão – que também é presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal – em que manifestaram preocupação com o desmatamento e pediram providências efetivas e urgentes contra a devastação da Amazônia e dos outros biomas, inclusão das comunidades locais, valorização da biodiversidade e que a retomada da economia siga o caminho do baixo carbono.

...A carta-manifesto é assinada por dirigentes das empresas Agropalma, Alcoa, Amaggi, Ambev, Bayer, Brasilagro, Cargill, Cosan, DSM, Ecolab, ERM, Grupo Vamos, Iguá, Jacto, JSL, Klabin, Marfrig, Mauá Capital, Michelin, Microsoft,Movida, Natura, Schneider Electric, Shell, Siemens, Sitawi, Stefanini, Suzano, Ticket Log, Vale, Vedacit e Wework, dos bancos Bradesco, Itaú, Rabobank e Santander, da estatal Eletrobras e das entidades Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais Abiove), Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) e Indústria Brasileira de Árvores (Ibá).

Há três semanas, 29 fundos que gerenciam US$ 3,7 trilhões em ativos enviou carta para embaixadas brasileiras alertando o governo brasileiro que o desmatamento poderá atrapalhar investimentos no Brasil... 

Leia a postagem completa aqui