Brasil: Entregadora/es de aplicativos de comida correm alto risco de contrair coronavírus segundo pesquisadora, inclui comentários da 99 Food, iFood, Loggi, Rappi e Uber Eats

 Brasil Pandemia e o risco para entregadores_credit_Mohamed Hassan_https://pxhere.com/pt/photo/1584917

Diante da recomendação para o autoisolamento, serviços de entrega viraram uma salvação para os clientes e estabelecimentos. Enquanto a população se protege da pandemia do COVID-19, causada pelo coronavírus, empresas lucram com o serviço, de acordo com artigo do The Intercept. No entanto, entregadoras/es de aplicativos de comida alertam para os riscos que correm com sua atividade. Há comentários das empresas de aplicativo 99 Food, iFood, Loggi, Rappi e Uber Eats.

 

 

Receba RSS dos resultados

Todos os componentes dessa história

Artigo
24 March 2020

Brasil: Depoimento de entregador de comida relata a insegurança e o perigo de trabalhar durante a pandemia

Autor: The Intercept Brasil (Brazil)

"Aplicativos colocam entregadores em risco com coronavírus", 24 de março de 2020 

Coronavírus: como é fazer entrega em tempo de pandemia. Aplicativos como @ifoodbrasil, @ubereats_br e @rappibrasil incentivam entregadores a continuar nas ruas, mas não tomam medidas eficazes para protegê-los. Neste vídeo, Paulo Lima, entregador de 31 anos, narra as dificuldades de ser mais demandado do que nunca, mas continuar invisível: “Motoboy é ser humano, tem sonho, igual a todos os outros profissionais. A gente não é só entregador de comida”.

Leia a postagem completa aqui

Artigo
23 March 2020

Brasil: Empresas de aplicativos aumentam delivery e colocam entregadores em risco com o coronavírus segundo pesquisadora, inclui comentários das empresas

Autor: Bruna de Lara, Nathália Braga, Paulo Victor Ribeiro, The Intercept Brasil (Brasil)

“ 'PARCERIA' DE RISCO. Aplicativos lucram com coronavírus pondo entregadores em risco de contágio”, 23 de março de 2020

Ficar em casa... principais recomendações para a contenção da pandemia do novo coronavírus.... Mas, nas ruas esvaziadas... figuras não irão desaparecer: as de trabalhadores circulando em motos ou bicicletas munidos de mochilas....Quando sair de casa significa colocar a saúde em perigo, a comodidade oferecida pelos aplicativos de entrega se torna ainda mais sedutora. Na outra ponta, porém, há pessoas expostas aos riscos...E as marcas que elas carregam nas costas não estão tomando medidas eficazes para protegê-las do contágio. O Intercept entrou em contato com as quatro empresas para saber que políticas foram criadas para evitar que seus entregadores contraiam a covid-19... Ainda que todas aleguem estar trabalhando em diversas providências para protegê-los, a única medida em comum...[é o]...compartilhamento de informações de prevenção divulgadas pelo Ministério da Saúde... A Loggi decidiu medir a temperatura de todo mundo que frequenta seu centro de distribuição .... [e] distribuirá luvas “em suas principais agências”. A Rappi...dará álcool gel e panos desinfetantes aos entregadores.... Enquanto governos tomavam medidas de isolamento, o iFood disparava mensagens incentivando entregadores a saírem mais....Os principais aplicativos de entregas do Brasil...concentravam cerca de 172 mil entregadores até 2019...Todos rejeitam ter vínculos empregatícios com os trabalhadores, a quem dizem apenas fornecer a tecnologia do serviço de entrega...A pesquisadora da Unicamp...[Abílio afirmou que trabalhadores]...“...estão em uma condição de alto risco”...É preciso que as empresas assumam que estão gerenciando...trabalho que ameaça a saúde dos entregadores sem condições de remuneração ou segurança adequadas...As cinco empresas contatadas pelo Intercept – 99 Food, iFood, Loggi, Rappi e Uber Eats – dizem não ter nenhum caso de entregadores infectados pelo coronavírus. Todas exceto a Loggi...disseram estar se preparando para a possibilidade com a criação de fundos para oferecer auxílio financeiro aos trabalhadores que adoecerem...[porém]...o Ministério da Saúde anunciou que apenas pacientes graves serão testados...[E]ntregadores temem não ter condições de comprovar a doença...[Q]uatro empresas afirmam que qualquer entregador diagnosticado com covid-19 ou em quarentena poderá receber ajuda...

Leia a postagem completa aqui