Brasil: Grupo de atingidos, advogados e ativistas viaja pela Europa e denuncia Vale, empresas e governo por violações de direitos humanos nos casos no Rio Doce e Brumadinho

Brasil grupo de atingidos_credit_Jornada internacional frente aos crimes da mineração no Brasil

Grupo de atingidos, advogados/as e ativistas viaja pela Europa e denuncia Vale, empresas e governo por violações de direitos humanos nos casos de rompimento de barragens no Rio Doce (2015) e Brumadinho (2019). De 3 de outubro a 5 de novembro de 2019, o grupo estará na Espanha, Suíça, Alemanha, Holanda, França, Italia e Bélgica. A agenda inclui participação nas atividades da Campanha Global pelo Desmantelamento do Poder Corporativo, reuniões com relatorias especiais da ONU, audiências com membros do parlamento europeu e do parlamento alemão, representantes da OCDE, de investidores da Vale e de empresas compradoras dos minérios extraídos no Brasil, além de debates públicos e ações de protesto pacífico.

Receba RSS dos resultados

Todos os componentes dessa história

Artigo
22 October 2019

Brasil: Atingidos por rompimento da barragem em Brumadinho denunciam TÜV SÜD na Alemanha por crimes de homicídio, inundação e corrupção; empresa não comentou

Autor: Cíntia Paes, G1 Minas (Brazil)

“Brumadinho: atingidos vão à Alemanha denunciar TÜV SÜD por homicídio, inundação e corrupção”, 16 de outubro de 2019

Atingidos pelo rompimento da barragem da Vale em Brumadinho estão na Alemanha...para denunciar ao sistema judiciário do país a empresa de consultoria TÜV SÜD, que atestou a estabilidade da estrutura. O grupo esteve no Parlamento para informar sobre a ação contra a empresa...[A]...queixa apresentada na Alemanha diz que a consultoria deve responder pelos crimes de homicídio, inundação [que abrange ainda crimes ambientais] e corrupção também neste país...[D]e acordo com a queixa criminal apresentada na Alemanha, a TÜV SÜD atestou a estabilidade da barragem mesmo sabendo que o nível de segurança da estrutura estava abaixo dos padrões. A queixa criminal ainda argumenta que a consultoria não poderia atuar como auditoria independente da segurança da barragem da Vale porque tem “claro conflito de interesse” uma vez que tem pelo menos seis contratos com a Vale que somam quase R$ 20 milhões. Esses contratos incluem análises técnicas internas solicitadas pela própria Vale...[A]pós a denúncia no Parlamento alemão, o grupo segue para Munique, para entregar a queixa criminal ao ministério público. A empresa disse que não vai comentar a queixa na Alemanha...

 

Leia a postagem completa aqui

Artigo
17 October 2019

Brasil: Grupo de atingidos, advogados e ativistas viaja pela Europa e denuncia Vale, empresas e governo por violações de direitos humanos nos casos no Rio Doce e Brumadinho

Autor: Articulação Internacional de Atingidas e Atingidos pela Vale

"Jornada internacional frente aos crimes da mineração no Brasil", outubro de 2019

Esta lista de transmissão funcionará até o dia 10 de novembro de 2019. Seu objetivo é disseminar informações e mobilizar jornalistas e formadores de opinião para que deem repercussão às atividades de denúncia e incidência que estamos realizando de 03 de outubro a 05 de novembro em alguns países europeus (Espanha, Suiça, Alemanha, Holanda, França, Italia e Bélgica). A agenda inclui participação nas atividades da Campanha Global pelo Desmantelamento do Poder Corporativo, reuniões com relatorias especiais da ONU, audiências com membros do parlamento europeu e do parlamento alemão, representantes da OCDE, de investidores da Vale e de empresas compradoras dos minérios extraídos no Brasil, além de debates públicos e ações de protesto pacífico.

Entre as várias denúncias...da...situação do Brasil, estamos tratando de:

- Denunciar...impunidade corporativa da Vale e...empresas a ela associadas, a ameaça de retomada das operações no complexo Paraopeba, em Brumadinho (mina da Jangada)...
- Divulgar os conceitos criados pelas populações atingidas: terrorismo de barragens, zonas de sacrifício e de alto risco de morte, indústria da reparação...
- Demonstrar a relação de causa e efeito entre as ações de empresas europeias...e alemãs...e as violações de direitos humanos e danos ambientais no Brasil...
- Defender a importância de uma lei na Alemanha e outra em toda a Europa sobre a devida diligência em relação a toda a cadeia de valor...
- Denunciar a falência do modelo mineral no Brasil, as pretensões de avanço sobre a Amazônia...
- Fazer memória dos crimes, dignificar as vítimas...
- Relembrar os perigos à vida e integridade física e psíquica por que têm passado os defensores de direitos humanos e da natureza no Brasil.
- Denunciar as falsas soluções apresentadas pelas empresas, pelos governos e pelo mercado...

Agradecemos por todo apoio e solidariedade. Carolina de Moura Campos, coordenadora geral da Associação Comunitária da Jangada – Brumadinho e membro da Articulação Internacional de Atingidas e Atingidos pela Vale. Danilo Chammas, advogado popular da equipe da Justiça nos Trilhos, defensor de comunidades atingidas pela Vale na Amazônia Brasileira e em Minas Gerais, membro da Articulação Internacional de Atingidas e Atingidos pela Vale.

Baixe o documento inteiro aqui

Artigo
16 October 2019

Brasil: Grupo de atingidos, advogados e ativistas viaja pela Europa e denuncia Vale, empresas e governo por violações de direitos humanos nos casos no Rio Doce e Brumadinho

Autor: Jamil Chad, UOL (Brazil)

“Grupo denunciará Vale, empresas e governo em viagem pela Europa”, 11 de outubro de 2019

Numa tentativa de colocar pressão sobre a Vale e buscar leis que impeçam novas tragédias como a de Brumadinho ou Mariana, vítimas das barragens da mineradora, advogados e ativistas viajarão pela Europa para denunciar a empresa, cobrar respostas do governo e de companhias europeias e alertar para a impunidade na resposta diante das mortes. O grupo vai se reunir com investidores, políticos e representantes de organismos internacionais em sete países diferentes a partir deste fim de semana...[O]...grupo está sendo liderado pela Articulação Internacional de Atingidas e Atingidos pela Vale...[E]m Genebra, o grupo participará de reuniões na ONU sobre formas de responsabilizar empresas por violações de direitos humanos e da natureza. Em paralelo, o grupo fortalecerá as atividades do Sínodo da Amazônia que está acontecendo em Roma neste mesmo período...["O]...objetivo é denunciar a impunidade corporativa da Vale e das empresas a ela associadas, a ameaça de retomada das operações no complexo Paraopeba, em Brumadinho (mina da Jangada), a falta de compromisso real da empresa e do Estado brasileiro com as medidas de reparação integral e de garantias de não repetição em Brumadinho e Bacia do Rio Doce, em Minas Gerais, e em Piquiá de Baixo, em Açailândia, na Amazônia Brasileira", aponta o grupo, em um comunicado...No dia 22 de outubro, em Berlim, o grupo participa de uma discussão sobre a responsabilidade das empresas alemãs O atestado de estabilidade da barragem da Vale foi dado pela empresa alemã TÜV SÜD, quatro meses antes do rompimento em Brumadinho...["O]...caso mostra que as empresas alemãs devem ser legalmente obrigadas a garantir a devidas diligências para os direitos humanos em suas atividades no estrangeiro”...

Leia a postagem completa aqui