Brasil: Guaranis compram ações da Rumo Logística para denunciar a outros acionistas descumprimento de medidas ambientais e de proteção de seus direitos, inclui comentários da empresa

Autor: Rubens Valente, Folha de S. Paulo (Brazil), Publicado em: 1 May 2019

“Estratégia é conhecida como ativismo societário; tribo Guarani de SP participa de assembleia da Rumo”, 24 de abril de 2019

Em...estratégia inédita no país, indígenas guaranis de São Paulo adquiriram ações de...grande ferrovia para poder apresentar denúncia aos outros acionistas da companhia sobre falta de cumprimento de medidas ambientais e de proteção aos seus direitos. A carta foi lida por indígenas...durante a assembleia anual da Rumo Logística,...maior operadora ferroviária do país....[A]...Rumo detém a concessão sobre a Malha Ferroviária Paulista e duplicou o trecho Itirapina-Cubatão...[P]ara compensar impactos causados pela obra...[,]...[a]...empresa tem que cumprir uma série de condicionantes ambientais e indígenas...[A]...obra da ferrovia impacta cerca de 5.000 guaranis que habitam cinco terras indígenas nos municípios de São Paulo, Mongaguá e Itanhaém e Praia Grande (SP), em uma das poucas regiões preservadas de Mata Atlântica no estado...[O]s indígenas afirmam...que, das 101 atividades de mitigação e compensação assumidas pelas empresas, 72 "estão totalmente paralisadas nesse momento"...[A]ntes de procurar a assembleia dos acionistas os indígenas tentaram um acordo extraoficial com a Rumo...[P]orém, logo após as eleições presidenciais que determinaram a vitória de Jair Bolsonaro (PSL-RJ), a empresa mudou de discurso, segundo os indígenas e o MPF....[E]m nota à reportagem, a Rumo afirmou...que "vinha executando normalmente os projetos decorrentes" do CI-PBA (Componente Indígena do Plano Básico Ambiental) mas em julho do ano passado a companhia teria sido informada, "de maneira unilateral, que o Comitê Interaldeias pretendia receber as verbas destinadas às ações e assumir a execução delas"...

Leia a postagem completa aqui