Brasil: Justiça Global lança quinta edição da Homenagem Maria do Espírito Santo Silva a defensoras de direitos humanos


Brasil V Homenagem_credit_Justiça_Global_http://www.global.org.br/wp-content/uploads/2019/03/homenagemJG_convitefb_ig_wpp-500x500.png

No dia 28 de março de 2018, a Justiça Global lançou a quinta edição da Homenagem Maria do Espírito Santo Silva. A organização homenageou sete mulheres que ocupam papel na linha de frente da defesa dos Direitos Humanos: Ana Lúcia de Oliveira – Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência, do Rio de Janeiro; Ayala Ferreira – Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), no Pará; Cacica Cátia Tupinambá – Líder da Terra Indígena Tupinambá de Belmonte, no sul da Bahia; Deborah Sabará – Grupo Orgulho, Liberdade e Dignidade (Gold), do Espirito Santo; Laura Ramos de Azevedo – Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência, do Rio de Janeiro; Maria Tereza dos Santos – Associação de Amigos e Familiares de Pessoas em Privação de Liberdade, Minas Gerais; Rosângela Rocha – Movimento 11 de Dezembro em Santo Antônio de Jesus, Bahia.

Receba RSS dos resultados

Todos os componentes dessa história

Item
27 March 2019

Brasil: Defensoras de Direitos Humanos homenageadas pela Justiça Global

Autor: Justiça Global (Brazil)

“V Homenagem Maria do Espírito Santo Silva: Pela Valorização das Defensoras de Direitos Humanos”, 27 de março de 2019

ANA LÚCIA DE OLIVEIRA...[:]...[i]ntegrante da Rede de Comunidades e  Movimentos contra a Violência e mãe de Michel Antônio de Oliveira da Silva, que  desapareceu no dia 05 de abril de 2008, na favela da Praia de Ramos...[,]...Rio de Janeiro.  Michel era um jovem negro...[D]ona Ana...achou o rapaz já morto...[D]ona Ana...articula...outras mães que tiveram seus filhos vitimados pela política de extermínio da juventude negra...[;]...[A]YALA FERREIRA...[:]... nasceu e cresceu numa região que aprendemos a denominar de fronteira amazônica, território de disputas de projetos...[T]ornou-se militante do  Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra...–  assentada da reforma agrária, formadora e dirigente do Movimento, integra  também o seu  setor de direitos humanos...[;]...[C]ACICA CÁTIA TUPINAMBÁ...[:]...[l]íder da  Terra  Indígena Tupinambá de Belmonte, no sul da Bahia...[,]...luta pelos direitos humanos da população indígena desde o início dos anos 2000...[E]m 2017, foi incluída no Programa de Proteção a Defensores de Direitos Humanos (PPDDH) devido a ameaças e perseguições...[;]...[D]EBORAH SABARÁ...[:]...[C]om 17 anos...começa...seu processo de transição...Premiada diversas vezes, foi ainda a primeira porta-bandeira travesti a desfilar na avenida...LAURA RAMOS DE AZEVEDO...integra a Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência, no Rio de Janeiro. Ela tem 36 anos e desde 2004 luta contra um câncer no pulmão...[B]uscar justiça e reparação para seu único filho, Lucas Azevedo Albino….assassinado aos 18 anos numa operação policial...MARIA TEREZA DOS SANTOS...atua como defensora de direitos humanos das pessoas privadas de liberdade em Minas Gerais...ROSÂNGELA ROCHA...teve como marco do início de sua militância, ainda na adolescência, a luta contra o extermínio de jovens no bairro Irmã Dulce, em Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo baiano. Em 1998, a explosão de uma fábrica de fogos de artifício em Santo Antônio de Jesus, na qual trabalhavam, em sua maioria mulheres negras e crianças, tirou a vida de 64 pessoas e deixou seis feridos...[G]rande parte das vítimas era...da comunidade e trabalhava na fábrica em condições precárias...[S]ua família também foi uma vítima direta...Assim nasceu o Movimento 11 de Dezembro, do qual Rosa é parte, e cujas principais bandeiras são a responsabiliza-ção dos perpetradores da explosão da fábrica de fogos e a reparação das famílias atingidas. Desde 2001 a Justiça Global é parceira do Movimento 11 de Dezembro em ação no âmbito do sistema interamericano de direitos humanos...

Leia a postagem completa aqui

Artigo
27 March 2019

Brasil: Justiça Global homenageia sete defensoras de direitos humanos

Autor: Glaucia Marinho, Justiça Global (Brazil)

“V Homenagem Maria do Espírito Santo Silva – Pela valorização das defensoras de DH’s”, 27 de março de 2019

Em novembro desse ano a Justiça Global completa 20 anos de existência. Ao olharmos para nossa trajetória verificamos que o compromisso com a proteção e visibilização de lutas de defensoras e defensores de direitos humanos está presente desde nossa fundação...[I]dentificamos um número significativo de defensoras e defensores que são atacadas/os, ameaçadas/os, assassinadas/os, criminalizadas/os ou que estão vulnerabilizados em razão das lutas que travam...[E]m diversos casos os ataques estão diretamente relacionados ao fato de serem mulheres...[É]...fundamental construir iniciativas que fortaleçam a luta das nossas defensoras. Pensando nisso, instituímos em 2014 uma homenagem anual às defensoras, a Homenagem Maria do Espírito Santo Silva – Pela Valorização das Defensoras de Direitos Humanos. Desde então, a Justiça Global tem a honra de homenagear, a cada ano, mulheres que estão na linha de frente pelos direitos humanos no Brasil. Nesta edição, celebraremos a luta de: Ana Lúcia de Oliveira – Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência, do Rio de Janeiro; Ayala Ferreira – Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), no Pará; Cacica Cátia Tupinambá – Líder da Terra Indígena Tupinambá de Belmonte, no sul da Bahia; Deborah Sabará – Grupo Orgulho, Liberdade e Dignidade (Gold), do Espirito Santo; Laura Ramos de Azevedo – Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência, do Rio de Janeiro; Maria Tereza dos Santos – Associação de Amigos e Familiares de Pessoas em Privação de Liberdade, Minas Gerais; Rosângela Rocha – Movimento 11 de Dezembro em Santo Antônio de Jesus, Bahia...[A]...V Homenagem Maria do Espírito Santo Silva – Pela Valorização das Defensoras de Direitos Humanos acontece[u em]... 28 de Março..., Rio de Janeiro...

Leia a postagem completa aqui