Brasil: Liderança Munduruku alega que mineração de mercúrio no Rio Tapajós contamina peixes, indígenas e ribeirinhos

Autor: Luciana Console, Brasil de Fato (Brazil), Publicado em: 1 April 2019

“Tapajós tóxico: garimpo aumenta níveis de mercúrio no rio e população adoece-Atividade garimpeira faz com que mercúrio inofensivo e naturalmente encontrado em solo amazônico se torne tóxico “, 16 de março de 2019

O Rio Tapajós, um dos maiores do país, é um dos locais da região Amazônica onde a atividade garimpeira está presente há décadas. No entanto, a presença do garimpo no Tapajós está adoecendo as populações por conta de um componente químico presente na extração do ouro: mercúrio. É o que a relata a indígena Alessandra, liderança Munduruku na Aldeia Praia do Índio, à beira do rio. “Na frente da aldeia Sawré Muybu está cheio de draga, a gente vê uma cena terrível quando eles mexem no fundo do rio, que vai puxando aquela lama velha”...[,]...apontando maior atividade garimpeira no Tapajós. Ela também...cita maior ocorrência de abortos espontâneos e crianças indígenas com problemas de memória...[O]s peixes do Tapajós se contaminam ao se alimentar das algas do rio e assim o metilmercúrio chega até o homem. O peixe é o principal alimento das populações ribeirinhas...[O]...solo amazonense é naturalmente composto por mercúrio. Porém, é a intervenção humana, através do garimpo, do desmatamento, das hidrelétricas e queimadas, que fazem com que haja o desequilíbrio...[A]s ações de combate e fiscalização são dificultadas por conta do extenso território e a dificuldade de acesso às regiões, muitas vezes alcançadas somente por helicópteros. Neste sentido, o financiamento das entidades que combatem crimes ambientais é fundamental...[U]m recente laudo da Polícia Federal do Pará...[:]...são lançados no rio 7 milhões de toneladas de sedimento por ano oriundos do garimpo ilegal. As informações fazem parte de uma investigação da PF sobre lavagem de dinheiro envolvendo garimpos clandestinos de ouro na bacia do Tapajós...[M]uitas vezes são usados “laranjas” nas atividades garimpeiras, tornando difícil o trabalho e punição dos verdadeiros responsáveis e financiadores do garimpo ilegal de ouro no Tapajós...

Leia a postagem completa aqui