Brasil: Loja Três é denunciada pelo Min. Púb. do Trabalho por racismo, gordofobia, assédio moral e irregularidades trabalhistas, inclui comentários da empresa

Autor: O Estado de S.Paulo (Brazil), Publicado em: 27 May 2019

“Loja Três diz que desconhece os fatos apontados e que principal acusada se afastou voluntariamente da empresa”, 21 de maio de 2019

A marca carioca Loja Três enfrentou uma série de acusações na última segunda-feira, 20, apontadas por uma reportagem do Uol. Onze ex-funcionários da empresa relataram casos de racismo, gordofobia, assédio moral, abuso de poder e irregularidades trabalhistas praticadas principalmente por Guta Bion, dona da loja, e por seus filhos Fernanda e Francisco. Juliana Neves...conta que foi obrigada a escolher entre manter suas tranças ou continuar trabalhando...[O]utras ex-funcionárias relataram casos de racismo, como Ruth de Oliveira, que foi avisada que deveria “manter o black [power] arrumadinho”, para não parecer “desleixada”.A empresa ainda foi acusada de gordofobia, ao fornecer uniformes pequenos demais para as funcionárias, e de assédio moral, ao regular o uso de papel higiênico e confiscar o celular de vendedoras. As denúncias foram feitas anonimamente ao Ministério Público do Trabalho (MPT) do Rio de Janeiro, que abriu dois inquéritos para investigar a loja...[O]...procurador... tentou notificar a Loja Três pelo menos três vezes desde junho de 2018, mas a empresa não se mostrou disposta a conversar sobre o assunto...[E]m nota..., a Loja Três diz que a principal acusada, Guta Bion, já se afastou voluntariamente enquanto os fatos são apurados, mas que desconhece as denúncias feitas contra a empresa...

Leia a postagem completa aqui