Brasil: Macacos vive meses de angústia diante do risco iminente de rompimento de barragem da Vale, inclui comentários da empresa

Autor: Patrícia Fiúza, Portal de Notícias G1 Minas (Brazil), Publicado em: 4 September 2019

“Seis meses após alerta, 'lama invisível' ainda altera vida em Macacos, na Grande BH”, 16 de agosto de 2019

Seis meses após as sirenes das barragens B3/B4 da Mina Mar Azul da mineradora Vale terem rompido...[,]...moradores ainda vivem sob o medo da possibilidade de rompimento da estrutura. Em...cenário de incertezas, lutam para serem reconhecidos como atingidos do que chamam “lama invisível”...[A]s sirenes tocaram poucos dias após o rompimento da barragem de Córrego do Feijão, em Brumadinho...[O]...medo e a insegurança de uma nova tragédia mudaram, por tempo indeterminado, a rotina dos moradores do distrito...[O]...Ministério Público publicou, em julho, edital de chamamento para credenciar entidades sem fins lucrativos para prestar assessoria técnica independente aos atingidos. A ideia é que a assessoria técnica faça um levantamento das ações necessárias para que a mineradora restabeleça a rotina da cidade...[D]esde fevereiro, as sirenes tocaram duas vezes em Macacos e várias famílias foram retiradas de casa. O nível de segurança da barragem que estava em 2 foi alterado para 3. Segundo a Vale, 77 famílias ainda estão hospedadas em hotéis, pousadas e casas de parentes. Outras 16 famílias estão residindo em casas alugadas pela empresa. Para garantir a segurança em caso de rompimento da barragem, a mineradora afirmou que faz uma obra de contenção, que deve ficar pronta em dezembro deste ano...[A]...mineradora não se pronunciou sobre a alegação do promotor André Sperling de não considerar os moradores atingidos. Afirmou que forneceu acolhimento com apoio psicossocial e atendimento médico emergencial; o fornecimento de alimentação, itens de higiene pessoal e primeira necessidade, medicamentos, vestuário e transporte...

Leia a postagem completa aqui

Empresas relacionadas: Vale