Você será redirecionado/a para a história na qual essa parte de conteúdo se encontra, para que você possa lê-la dentro do contexto. Por favor, clique no link seguinte se não for direcionado/a automaticamente dentro de alguns segundos:
pt/brasil-eleições-2018-democracia-em-risco-e-implicações-para-direitos-humanos-e-empresas#c178622

Brasil: Ministério Público do Trabalho registrou mais de 60 empresas por denúncias por coação eleitoral, maioria para votar em Bolsonaro

Autor: Agência Pública/Exame, (Brazil), Publicado em: 25 October 2018

Há casos de camisetas e comunicados idênticos distribuídos por empresas diferentes”, 20 de outubro de 2018

 ...[A]...Procuradoria-Geral do Trabalho (PGT) registrou até o momento 199 denúncias em 14 estados relacionadas a coação eleitoral...[,]...que ocorre quando...superiores tentam influenciar os votos de seus subordinados valendo-se da posição hierárquica de poder...[A ]...maioria das empresas acusadas foram favoráveis ao candidato Jair Bolsonaro (PSL)...[C]om 100 denúncias, Santa Catarina teve o maior número de relatos...[U]m deles ocorreu na Komeco...[:]...os servidores da Komeco receberam um email a respeito de uma palestra...[S]egundo relatos de funcionários...[o que]...seria uma reunião...se transformou num palanque...Estavam presentes nessa coação o presidente da empresa, Denisson Moura de Freitas, e dois políticos: o prefeito de Palhoça (SC), Camilo Martins (PSD), e seu pai, o agora eleito deputado estadual Nazareno Martins (PSB). “A gente recebeu um email dizendo que teria uma palestra. E quando chegou lá embaixo ia acontecer primeiro essa conversa com o deputado, o prefeito e o dono da empresa”, relata uma funcionária sob anonimato...[O]...presidente da empresa, Denisson Moura de Freitas...[,]...ficou falando: ‘Vocês sabem que o Bolsonaro vai melhorar a economia do nosso país, vai melhorar a situação paro os empresários. Vamos apoiar o Bolsonaro pra presidente’.”...[N]o caso da Komeco...[,]...na semana anterior à do primeiro turno das eleições, um áudio atribuído ao presidente da empresa passou a circular entre os funcionários...[:]...[“S]emana que vem, pessoal, é uma semana que aqui na empresa nós estamos chamando de semana do Bolsonaro...[V]ai ser a semana que a gente vai trabalhar a semana inteira uniformizado de Bolsonaro: carro adesivado e camiseta vestida”...[A]...campanha dentro das empresas denunciadas foi feita por meio de cartas, vídeos, emails, WhatsApp ou no corpo a corpo, com a participação dos donos do negócio...[E]mpresas adotaram...discurso de ameaça ou de terrorismo para convencer seus empregados a votar...[em]...Jair Bolsonaro...[D]e acordo com a procuradora do MPT do Rio Grande do Sul, Fernanda Pessamilio Freitas Ferreira, “Os empregados poderiam interpretar que o emprego deles estaria em risco”...[O]...dono da empresa Tabacos D’Itália, Gilmar João Alba...[,]...tentou convencer seus funcionários a votar em Jair Bolsonaro...[:]...[“N]ós dependemos de vocês ou as empresas não vão pra frente, mas, se nós, empresas, não existirmos no mercado, quem são vocês? Quem são vocês? Vocês são menos ainda”...[A]...única denúncia de coação eleitoral até o momento divulgada pelos MPTs contrária ao candidato Jair Bolsonaro envolveu o renomado restaurante de São Paulo, Maní. A denúncia foi motivada por uma foto postada pela chef, Helena Rizzo, em seu Instagram, em apoio à campanha #elenão, liderada por mulheres contra a eleição de Bolsonaro...

Leia a postagem completa aqui