Brasil: Mulher denuncia racismo em loja da C&A em São Paulo, empresa se desculpa e afirma não tolerar discriminação e nem preconceito

Autor: Mariana Gonzalez, De Universa, UOL (Brazil), Publicado em: 12 November 2019

"Mulher denuncia racismo em loja de SP: "Para eles eu era ladra e ponto", 4 de novembro de 2019

A cozinheira Charlete Viana Santos, de 43 anos, acredita que foi vítima de racismo em...unidade da C&A, no centro de São Paulo, ao ser acusada pela segurança da loja de roubar uma peça que havia comprado…[C[ontou que mesmo depois de apresentar a nota fiscal da compra, uma blusa de R$ 19,90, policiais foram acionados e pediram que ela entrasse em uma viatura da PM para ir até à delegacia, mas ela se recusou e disse que esperaria sua família chegar ao local...A cozinheira alega que a segurança a abordou com agressividade, já no meio da rua, alguns metros à frente da loja. "Ela estava convicta de que eu tinha roubado. Nessa hora todos os olhares estavam voltados para mim, para as pessoas [ao redor da C&A] eu era ladra e ponto final". Charlete voltou à C&A, onde policiais a aguardavam para esclarecer os fatos — não sem alguma hostilidade de parte das agentes...Depois que os fatos foram esclarecidos,...os policiais queriam levá-la até a delegacia para prestar queixa, "mas não especificaram o tipo de B.O., se seria contra mim ou contra a loja", disse. Ela precisou insistir para esperar a chegada dos familiares, contrariando os agentes, que queriam levá-la sozinha dentro da viatura...Charlete recusou a "carona" no carro da PM e foi de Uber até o 2º DP, acompanhada por familiares, onde foi desencorajada pelo delegado de plantão a prestar queixa..."Pensaram que me levariam lá dentro [da loja], revistariam minha bolsa, diriam que foi engano e me mandariam para casa. Mas eu não sou boba. O que mais me machuca, do fundo do coração, é a falta de respeito, [agir] como se só preto roubasse", disse Charlete…[A]...C&A disse, em nota, que "a cliente foi convidada a retornar à loja para que o alarme de segurança fosse retirado do produto" e que "não tolera qualquer tipo de discriminação e preconceito", por isso está apurando o caso. Charlete contou à reportagem que a C&A entrou em contato com ela hoje, por telefone, para se desculpar pelo ocorrido. Apesar disso...pretende tomar providências contra…[]a...empresa e...não pretende mais comprar em lojas da rede...

Leia a postagem completa aqui

Empresas relacionadas: C&A