Brasil: Professores e internautas acusam propaganda de papel higiênico de racismo & de usurpar slogan do movimento negro; empresas comentam

Autor: Blog de Maria Carolina Trevisan/Geledés, Publicado em: 25 October 2017

"Remover a menção a Black is Beautiful não diminui cunho racista da campanha", 24 de outubro de 2017

Depois de ganhar as redes sociais, a Santher, que fabrica o papel higiênico preto da Personal, retirou a menção ao conceito filosófico do movimento negro "Black is Beautiful". Mas isso não diminui o racismo da campanha. Tudo nessa estratégia publicitária é racista. Além de usurpar o slogan, colocar o papel higiênico preto para limpar a bunda da menina branca é reproduzir o que a elite brasileira considera ser o lugar do negro brasileiro: sua função é servir ao branco. Está no imaginário da nossa sociedade. "O que é preocupante é a empresa não reconhecer que essa propaganda é racista, que houve um erro e uma postura racista do departamento de marketing ao veicular uma peça como essa...O correto seria [a empresa e a agência] reconhecer o racismo e fazer uma retratação...[O]...racismo está tão introjetado na sociedade brasileira que se naturaliza esse tipo de coisa"...[alerta Dennis de Oliveira, professor da Escola de Comunicação e Artes da USP]...O produto...serve para limpar excrementos humanos..."A sutileza do racismo, o que...tem de mais perverso, é que sempre aparece como...mal-entendido...[É]...fundamental que não se aceite nenhum tipo de relativização do que ocorreu e...que desse episódio a empresa possa se rever em relação aos seus procedimentos internos", diz...[o presidente do Instituto Luiz Gama, Silvio Almeida]...[A]...empresa e...agência Neogama se desculpa[ram]...: "A mensagem criativa da campanha para o produto Personal Vip Black foi selecionada com o objetivo de destacar...produto que segue tendência de design...Refutamos...insinuação ou acusação de preconceito neste caso e lamentamos outro entendimento que não seja o explicitado na peça...Santher e Neogama...informa[m]...que tal assinatura foi retirada de toda comunicação da campanha e apresenta[m]...suas desculpas por eventual associação da frase adotada ao movimento negro, tão respeitado e admirado por nós."..."A propaganda não tem nada de ingênua...Utilizou...slogan de reafirmação do povo negro como se fosse algo de menor importância...[A]...empresa mostra...desprezo pelos valores de uma parcela importante de nossa sociedade..."...[afirma Maria José Menezes, da coordenação do Núcleo de Consciência Negra da USP]...

Leia a postagem completa aqui