Brasil: Três mulheres negras são expulsas de festa privada de homenagem à entidade de matriz africana Iemanjá; dono do local nega acusação de racismo

Autor: Tory Oliveira, Carta Capital (Brazil), Publicado em: 13 February 2017

“Em Salvador, um caso de racismo no dia de Iemanjá-Três mulheres negras foram expulsas de "festa VIP" em homenagem à entidade de matriz africana por "destoarem" dos demais convidados”, 10 de fevereiro

Um caso de racismo em Salvador, a cidade com a maior população negra fora da África, turvou as festividades em homenagem a Iemanjá,...em 2 de fevereiro. O episódio de discriminação envolveu três mulheres negras e aconteceu durante a festa Odoyá Sobre o Mar,...[na]...loja de decoração Nino Decor. Elas foram expulsas do local pelo dono do espaço, Nino Nogueira, por “destoarem” dos demais convidados. O "evento VIP" reuniu cerca de 250 pessoas...Nos textos de divulgação da festa, consta que a “única exigência” seria usar azul ou branco.  O administrador Harley Henriques, que acompanhava as três mulheres e testemunhou o ocorrido, conta que...[elas]…foram abordadas pelo proprietário, causando constrangimento público e intimidação. Maria Anita Lima, sua irmã Beatriz, e sua sobrinha eram convidadas do produtor cultural Moacyr Villas Boas...Maria Anita, 60 anos...[disse:]..."Encontramos a pessoa que nos convidou e entramos normal. Quando chegamos lá, as pessoas olhavam como se a gente fosse de outro mundo. Pela cor, talvez, e pelas vestes..."...Nino teria segurado a sobrinha de Maria Anita pelo braço e questionado o que ela estaria fazendo ali. De acordo com Villas Boas, além de reprovar publicamente a presença das mulheres, Nogueira teria dito a ele para “deixar a empregada em casa”...Nogueira negou a acusação de racismo e alegou que as mulheres não estavam na lista de convidados...O caso de racismo foi registrado em boletim de ocorrência...

Leia a postagem completa aqui