abusesaffiliationarrow-downarrow-leftarrow-rightarrow-upattack-typeburgerchevron-downchevron-leftchevron-rightchevron-upClock iconclosedeletedevelopment-povertydiscriminationdollardownloademailenvironmentexternal-linkfacebookfiltergenderglobegroupshealthC4067174-3DD9-4B9E-AD64-284FDAAE6338@1xinformation-outlineinformationinstagraminvestment-trade-globalisationissueslabourlanguagesShapeCombined Shapeline, chart, up, arrow, graphlocationmap-pinminusnewsorganisationotheroverviewpluspreviewArtboard 185profilerefreshIconnewssearchsecurityPathStock downStock steadyStock uptagticktooltiptwitteruniversalityweb

O conteúdo também está disponível nos seguintes idiomas: English, 日本語,

Briefing

18 Jan 2022

Reduzindo a lacuna: Evidência de uma devida diligência a partir de cinco anos medindo os esforços de empresas para enfrentar o trabalho escravo

Shutterstock

As lições tiradas... servem para destacar que as regras de governança corporativa sustentável em si não são uma panaceia. Sua eficácia na promoção dos direitos humanos e da regeneração ambiental nas operações corporativas e nas cadeias de valor globais das empresas depende muito de sua concepção e de sua implementação.
Heidi Hautala, Vice-Presidente do Parlamento Europeu

O momento está crescendo para a diligência obrigatória dos direitos humanos e ambientais (mHREDD), com empresas e investidores alinhando-se à sociedade civil, trabalhadores, governos e sindicatos para exigir leis eficazes para supervisionar a proteção dos direitos. Atrasos na proposta legislativa da UE para o mHREDD, que sinalizará uma mudança radical para os direitos humanos corporativos, devem ser usados para garantir que um padrão ambicioso seja estabelecido com impactos tangíveis para os trabalhadores.

Este relatório fornece novas evidências da necessidade urgente de uma ação voluntária a ser reforçada com requisitos regulamentares robustos para que as empresas identifiquem os riscos dos direitos humanos e previnam abusos. Ele também sublinha os elementos-chave de uma regulamentação eficaz para garantir que a devida diligência não se torne apenas mais um exercício administrativo de " box-ticking " pelas empresas.

KnowTheChain benchmarks sobre como as empresas implementam políticas e práticas para eliminar um dos mais flagrantes abusos dos direitos humanos: o trabalho escravo. Nos últimos cinco anos, KnowTheChain avaliou os esforços das maiores empresas nos setores de maior risco para evitar o trabalho escravo em suas cadeias de fornecimento. Este relatório reúne evidências de nove referências distintas do KnowTheChain sobre 129 empresas nos setores de tecnologia da informação, alimentos e bebidas, vestuário e calçados, revelando que as empresas estão falhando em introduzir processos de due diligence de direitos humanos para identificar e prevenir o trabalho escravo nas cadeias de fornecimento globais.

KnowTheChain