abusesaffiliationarrow-downarrow-leftarrow-rightarrow-upattack-typeburgerchevron-downchevron-leftchevron-rightchevron-upClock iconclosedeletedevelopment-povertydiscriminationdollardownloademailenvironmentexternal-linkfacebookfiltergenderglobegroupshealthC4067174-3DD9-4B9E-AD64-284FDAAE6338@1xinformation-outlineinformationinstagraminvestment-trade-globalisationissueslabourlanguagesShapeCombined Shapeline, chart, up, arrow, graphlocationmap-pinminusnewsorganisationotheroverviewpluspreviewArtboard 185profilerefreshIconnewssearchsecurityPathStock downStock steadyStock uptagticktooltiptwitteruniversalityweb
Artigo

30 Abr 2022

Author:
Folha de São Paulo

Brasil: Pesquisa mostra que quase 90% dos paulistanos são favoráveis a regulamentação de aplicativos e apoiam as paralisações dos entregadores

“Trabalho por aplicativo deve ser regulado, dizem 87% dos paulistanos”, 30 de Abril de 2022

Quase 9 em 10 moradores da cidade de São Paulo são favoráveis a regular aplicativos de transporte e entrega para dar proteção aos entregadores e motoristas, aponta levantamento do instituto Locomotiva para o projeto Fairwork, da Universidade Oxford.

Empresas como Uber, iFood, Rappi e 99 não remuneram esses trabalhadores de maneira justa, na avaliação de 64% dos paulistanos ouvidos pelo instituto. Sete a cada dez disseram que deixariam de usar aplicativos de entrega e transporte que não garantam bons salários e condições de trabalho aos colaboradores.

...A aproximação dos usuários com os trabalhadores apareceu durante o movimento Breque dos Apps, paralisação nacional que reuniu principalmente entregadores e pediu apoio durante a pandemia e melhores condições de trabalho…Sob pressão da opinião pública, as principais plataformas se viram levadas a procurar soluções. Do protesto de 2020 até este 1º de Maio, seguros contra acidentes, ajustes em valores mínimos por corrida e promessas de mais transparência foram algumas das medidas adotadas.

Das maiores, pelos menos três –99, iFood e Uber– encabeçam articulações por uma legislação que inclua os profissionais no INSS, mas fora da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

...embora mais da metade (54%) dos ouvidos para a Fairwork avaliem que as empresas tratam entregadores e motoristas de forma justa, 93% afirmam que as condições deveriam melhorar. Para o coordenador do Fairwork Brasil, Rafael Grohmann, a percepção dos paulistanos sobre a atividade dos entregadores sinaliza, para as empresas do setor, a necessidade da adoção de "ações para melhorar ativamente as condições para seus trabalhadores."

…iFood e a 99 dizem que, em diálogo com a Fairwork, têm buscado aprimorar suas práticas em prol do trabalho digno e justo. A Amobitec (associação que inclui iFood, Uber e 99), afirma estar atenta às demandas dos trabalhadores e atuar na busca de melhorias para o mercado de aplicativos de delivery e mobilidade de passageiros no Brasil.

A ABO2O (que representa empresas como Loggi e Rappi) diz que os consumidores são tão fundamentais para o ecossistema digital quanto os prestadores de serviços e que o diálogo sobre a relação dos profissionais com os aplicativos deve considerar as diferenças entre eles.