abusesaffiliationarrow-downarrow-leftarrow-rightarrow-upattack-typeburgerchevron-downchevron-leftchevron-rightchevron-upClock iconclosedeletedevelopment-povertydiscriminationdollardownloademailenvironmentexternal-linkfacebookfiltergenderglobegroupshealthC4067174-3DD9-4B9E-AD64-284FDAAE6338@1xinformation-outlineinformationinstagraminvestment-trade-globalisationissueslabourlanguagesShapeCombined Shapeline, chart, up, arrow, graphlocationmap-pinminusnewsorganisationotheroverviewpluspreviewArtboard 185profilerefreshIconnewssearchsecurityPathStock downStock steadyStock uptagticktooltiptwitteruniversalityweb

The content is also available in the following languages: English

Artigo

11 Ago 2021

Autor/autora:
Coletivo Margarida Alves; Articulação Internacional dos Atingidos e das Atingidas pela Vale; Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM)

Brasil: Relatório Covid-19 em regiões mineradas na Bacia do Rio Doce (MG)

“Relatório Covid-19 em regiões mineradas na Bacia do Rio Doce (MG)”, abril 2021

...O relatório aponta a relação entre o decreto do Governo Federal, que classificou a mineração como atividade essencial no início da pandemia, em meio a medidas protetivas como lockdowns e distanciamento social, como importante difusora da Covid-19.

“Os dados apresentados neste relatório final são uma importante ferramenta de incidência política e jurídica para moradores e gestores de municípios minerados, uma vez que a não paralisação da mineração no contexto de pandemia, sob pretexto da sua suposta essencialidade, tem levado à sobrecarga de sistemas de saúde locais, adoecimentos e mortes entre trabalhadores do setor da mineração, seus familiares e demais pessoas que com eles convivem”, afirma um dos autores da pesquisa, Luiz Paulo Siqueira.

Foram três grandes regiões analisadas: a bacia do rio Doce e imediações, a região da Serra do Caraça e as microrregiões de Itabira e Ouro Preto...

Baixe aqui o relatório.

O estudo também pode ser acessado nos sites do Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM) e do Coletivo Margarida Alves.