abusesaffiliationarrow-downarrow-leftarrow-rightarrow-upattack-typeburgerchevron-downchevron-leftchevron-rightchevron-upClock iconclosedeletedevelopment-povertydiscriminationdollardownloademailenvironmentexternal-linkfacebookfiltergenderglobegroupshealthC4067174-3DD9-4B9E-AD64-284FDAAE6338@1xinformation-outlineinformationinstagraminvestment-trade-globalisationissueslabourlanguagesShapeCombined Shapeline, chart, up, arrow, graphlocationmap-pinminusnewsorganisationotheroverviewpluspreviewArtboard 185profilerefreshIconnewssearchsecurityPathStock downStock steadyStock uptagticktooltiptwitteruniversalityweb
Artigo

22 Mar 2022

Author:
g1

Brasil: Trabalhadores paraguaios são resgatados de situação análoga a de escravo em Mato Grosso do Sul

“À base de água de poço e animais de caça: grupo de trabalhadores é resgatado em situação análoga à escravidão na fronteira com Paraguai”, 22 de março de 2022

Tomando água vinda direto do poço sem tratamento e tendo que caçar animais para ter o que comer, um grupo de sete trabalhadores paraguaios foi resgatado em situação análoga à escravidão em uma fazenda em Bela Vista (MS), cidade que fica na linha de fronteira com o Paraguai. Os homens eram mantidos em um barraco de lona, ao relento e expostos à natureza...O grupo resgatado era composto por sete homens.

Em depoimento, um dos trabalhadores resgatados, assim que chegou a fazenda, disse que no local já havia um barraco de lona designado para que o grupo pudesse dormir. As necessidades fisiológicas eram realizadas no mato, e para o banho, apenas gelado, era utilizado um balde improvisado.

A operação foi feita em conjunto com o Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul (MPT-MS), com a Fiscalização do Trabalho, vinculada ao Ministério do Trabalho e Emprego, do governo federal, e a Polícia Militar Ambiental (PMA).

…Conforme relato, os homens haviam recebido as diárias trabalhadas, mas não as verbas rescisórias a que teriam direito, como férias proporcionais, 13o salário ou FGTS...